Colunistas

< voltar
Alysson Lisboa Neves Jornalista
31/Jan/2019 - 03h40 - Atualizado em 04/Feb/2019 - 10h33

Metha: startup mineira vence a 5ª rodada do Seed com solução em energia limpa

Passagem pelo Seed foi decisiva para o sucesso da Metha Energia. Anúncio foi feito no Demoday do programa


Por Alysson Lisboa Neves
 Fábio Teixeira, Gabriela Laguardia, Daniel Fraga, Diego Augusto, Victor Soares, João Marcello, Danilo Fraga e Igor Ribeiro ajudaram a Metha Energia chegar tão longe
Crédito: Divulgação

Diego Augusto é um engenheiro agrônomo de 24 anos; Victor Soares formou em Administração pela FGV e tem a mesma idade. Daniel, o "mais velho da turma", com 26 anos, estuda Engenharia de Controle e Automação. Esse time compõe a Metha Energia, startup acelerada no Seed que acaba de ganhar como a melhor startup da 5ª rodada do programa. A solução consiste basicamente em uma plataforma que conecta pessoas que querem economizar a microgeradores de energia espalhados pelo estado.

A trajetória dos jovens empreendedores se confunde com uma amizade que vem da infância. Os três se conheceram jogando handball no bairro Floresta, região central de BH. Diego Augusto e Daniel Henrique são irmãos e Victor Soares é praticamente um membro da família, tamanha a amizade construída entre os três ao longo de mais de uma década. Para alguns, os sócios em uma startups não podem ser grandes amigos ou membros familiares, mas para o time da Metha, a aproximação só trouxe resultados positivos.

A história da startup começou como uma fagulha. Daniel sempre gostou de tecnologia e ficou sabendo que o Seed estava apresentando suas startups durante a Finit - Feira Internacional de Tecnologia, realizada no Expominas, em 2016. Ele, mais que depressa, convidou o irmão Diego para visitar a feira. Não deu outra. Nascia a vontade de empreender e fazer algo que pudesse gerar impacto na vida das pessoas.

Essa inquietação os levou a conversar com a Gabriela Laguardia, então aluna do Cefet-MG, que pesquisa sobre energias renováveis e reportou a ideia aos professores da instituição. Do ponto de vista técnico, o sinal verde foi dado.

Um ano depois, Daniel e Gabriela estimularam Diego, Danilo (um outro irmão) e o amigo Victor a participarem da nona rodada do Lemonade. Faltava apenas um dia para enviar a proposta e eles conseguiram entrar. O que era uma ideia passou a ganhar corpo e mais dedicação. "Foi lá que a gente começou a entender o que é empreendedorismo", relembra Victor Soares. A Metha Energia nascia com a proposta de transformar biogás em economia real para os consumidores de energia elétrica de Minas Gerais.

A proposta era interessante e tinha potencial de crescimento. Em 2018 foi natural para a equipe a vontade de voar mais alto. Era o momento certo de tentar entrar no Seed, concorrido programa de aceleração mantido pelo Governo de Minas Gerais. Deu match, entre mais de 1 mil inscritos, a Metha estava lá. A brincadeira então ganhava corpo e ficava mais séria. Era hora de voar alto e participar do maior programa público de aceleração de startups da América Latina.

O início no Seed

Quem recebeu esse time no Seed no dia 30 de julho de 2018 foi o agente de aceleração Thiago Fenelon. Formado em Engenharia pela UFMG e com larga experiência em energias renováveis foi logo enxergando que a Metha poderia ser um sucesso.

Thiago e Fernanda Matoso fizeram o diagnóstico inicial da empresa e Thiago acabou permanecendo no processo de aceleração com eles. "A evolução da Metha foi muito grande. Saíram praticamente do nada para um negócio já estruturado e com um tamanho razoável. A dedicação deles fez toda a diferença", relembra o agente de aceleração.

Confira a cobertura da TV SIMI sobre o Demoday da 5ª rodada de aceleração do Seed:

Pare que eu quero descer!

Pensar em desistir é quase uma constante no mundo das startups. "Quero ser estagiário - não aguento mais", disse um dos sócios em tom de brincadeira. Mas essa vontade impera quando a exaustão chega. Mesmo com uma equipe bem estruturada, acreditar no sonho quando o dinheiro e o reconhecimento não vêm, é bem difícil. Além disso, vieram as tentações. Como os sócios têm muita bagagem e ótimo currículo o assédio de empresas oferecendo bons salários é uma constante. "Você continua e não desiste pelo sonho. O importante é que a gente não desistiu", completou Victor.

Seed, um divisor de águas

"Se a gente não tivesse passado pelo Seed o projeto não teria vingado", afirma Daniel Henrique. A perspectiva era muito grande e os sócios encararam como a grande chance do projeto. O agente Thiago Fenelon recebeu o desafio de ajudar a Metha ainda sem um site no ar, sem uma marca estruturada e poucos processos gerenciais. A Metha era uma grande aposta que faltava evoluir.

Depois da chuva vem a bonanza, já dizia o velho ditado. Hoje a Metha já tem números aos quais se pode orgulhar. De zero a 2,5 mil clientes cadastrados (demorou cerca de quatro meses). Uma evolução e tanto. O objetivo da Metha é atingir os consumidores domésticos das concessionárias de energia como a Cemig. A energia desperdiçada pela liberação de gás metano em fazendas pode gerar energia elétrica que, uma vez conectada à rede elétrica da Cemig, gera receita para o dono da fazenda ou sítio e, gera créditos. O crédito se converte em economia de até 15% na conta de energia do consumidor final. 

Mas o que determinou o sucesso da Metha?

Para Thiago, agente de aceleração do Seed, o grande diferencial da equipe foi estar suscetível ao risco. Eles trabalharam de ouvido aberto e prontos para arriscar na hora certa. Quando fecharam o primeiro contrato, mesmo não sendo tão vantajoso assim, eles compraram o risco e, desse modo, conseguiram contratos melhores. "Sem arriscar eles não teriam chegado onde chegaram. Eles estavam dispostos a tomar risco, completa Thiago.

Os negócios podem salvar o mundo. A Metha é uma dessas empresas que aproveita o que estava sendo largamente descartado na natureza e dá novo sentido. Uma gás produzido das fezes de animais pode gerar energia e baratear o gasto com a energia elétrica doméstica. Empresas com propósito fazem do mundo um lugar melhor. Focam não somente em dividir lucros e dividendos, mas também em repartir algo que pode transformar a sociedade e impactar diretamente a vida das pessoas. Grande ideias não surgem, elas evoluem. E foi assim com a Metha.

Para o ano de 2019 a Metha quer crescer, e muito. A expectativa é alcançar 25 mil clientes e expandir para outros estados do Brasil, levando para as famílias uma economia real na conta de energia.

Linha do tempo da Metha

2016
O grupo começa a se aproximar de programas de aceleração e pré-aceleração com apenas uma ideia na cabeça.

2017
A Metha Energia sai da imaginação dos jovens amigos do bairro Floresta e entra para na 9ª Rodada do Lemonade.

2018
O grupo se inscreve para a 5ª Rodada do Seed e são aprovados.

2019
Depois de realizar 36 atividades, alcançando 1034 pessoas em cinco cidades, totalizando 85 horas de difusão a startup vence a 5ª Rodada do Seed.

Passo a passo: Como funciona a Metha Energia

1. Fontes de geração produzem energia e injetam na rede da Cemig.
2. Essa geração é convertida em créditos de energia que são distribuídos pela Metha Energia aos clientes.
3. Após contratar o serviço os créditos serão abatidos da conta de energia, o que gera uma redução de até 15%.
4. Não é preciso alterar nada na instalação do ponto e energia. O que altera é que ao invés de pagar a conta da Cemig você passa a pagar um boleto gerado pela Metha Energia.
5. Você pode desfazer o contrato quando quiser sem gerar custo ou transtorno.

Confira as imagens do Demoday da 5ª rodada do Seed:

##Sedectes##SeedMG#geraçãodeenergia#metha#seed4Favoritar

Sobre o autor
Alysson Lisboa Neves Jornalista

Jornalista formado pelo Uni-BH, Especialista em Produção em Mídias Digitais pelo IEC PUC Minas e Mestre em Comunicação Digital Interativa pela Universitat de Vic, Espanha. Mais de 20 anos de experiência em mídia impressa e digital, com passagem pelos jornais Hoje em Dia e Estado de Minas. Na Revista Encontro desempenhou a função de editor de novas mídias, coordenador da equipe digital e colunista. É também especialista em desenho de jornais e revistas em tablets e smartphones. Foi professor de jornalismo no Centro Universitário de Belo Horizonte - Uni-BH. É professor de pós-graduação no IEC PUC Minas e de Empreendedorismo no Cotemig. É palestrante nas áreas ligadas ao jornalismo digital, novas mídias, inovação em desenho de jornais e revistas, redes sociais e marketing digital. É colunista do Portal Uai e consultor de novas mídias e marketing digital.

Temas tratados:

 

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.