Notícias

< voltar
07/Mar/2017 - 08:00 - Atualizado em 07/Mar/2017 - 10:36

“Conexão entre startups e academia gera mais impacto no mercado”

A partir dos centros de Inovação, Microsoft fomenta empreendedorismo e ciência. Atualmente, a empresa tem seis centros e um deles está em BH


Por Paula Isis/SIMI Belo Horizonte
De acordo com Elis Queiroz, a ideia é capacitar e desenvolver os centros com parcerias locais para que eles possam abrigar, suportar e capacitar todo o cenário de empreendedorismo local
Crédito: Paula Isis/SIMI

Durante o Open Talk – série de palestras sobre empreendedorismo e inovação que agitou o Open Innovation Week, 2017, a gerente de audiência de marketing da Microsoft, Elis Queiroz, falou um pouco sobre a experiência da empresa com as startups e o quanto isso mudou a visão da empresa sobre a forma de se relacionar com pesquisas acadêmicas e com empreendedorismo.

De acordo com Queiroz, no início, quando a empresa começou a buscar parcerias com centros de pesquisas e com startups, ela possuía dois times que atuavam separadamente: um era direcionado para tratar assuntos acadêmicos e outro para empreendedorismo, o que segundo ela, foi um erro.

“Chegou um momento que percebemos que tínhamos uma série de atividades com universidades, com startups, e não necessariamente, elas estavam se “falando”, e consequentemente, a empresa não conseguia mostrar ao mercado o impacto que dessas ações que eram desenvolvidas internamente”, afirma.

De acordo com a gerente de marketing, é muito difícil para uma empresa levar sozinha uma iniciativa que consiga pentear todas as audiências. “A gente só cresce, só expande a traves de parceiros”, enfatiza. A partir daquele momento, a Microsoft percebeu que as duas áreas caminhavam juntas e que era preciso uma conexão maior, o que deu início aos centros de inovação.  “A gente hoje tem seis centros de inovação tecnológica no país."

Em seguida, a empresa passou a conectar esses centros de inovação ao ambiente empresarial. “A gente percebeu que além de capacitar esse jovem, era necessário conectá-lo ao mercado de trabalho. O trabalho que a gente está fazendo atualmente com esses centros de inovação é capacitá-los para que eles possam ser atores e influenciadores do ecossistema também."

Esses centros estão localizados em cidades como, Belo Horizonte, Joinville, Curitiba, Porto Alegre e Campinas. Para saber mais, clique aqui

De acordo com Queiroz, a ideia é capacitar e desenvolver os centros com parcerias locais para que eles possam abrigar, suportar e capacitar todo o cenário de empreendedorismo local.

Em Minas Gerais, o Centro de Inovação da Microsoft atua em parceria com a PUC Minas. Para obter mais informações, clique aqui. 

#inovação#microsoft#startups#openinnovation#oiweekFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.