Notícias

< voltar
22/Dez/2017 - 11:40 - Atualizado em 22/Dez/2017 - 14:43

Aluna de escola pública cria monitor cardíaco para sonâmbulos

Ao detectar o estado de sonambulismo, uma pulseira vibratória é acionada acordando a pessoa e evitando acidentes


Por Redação

Frequência cardíaca durante sonambulismo é similar a de uma pessoa acordada
Crédito: Arquivo pessoal

A estudante paulistana Nathália Souza de Oliveira, de 17 anos, idealizou e desenvolveu, com a ajuda dos professores da Escola Estadual Alexandre Von Humboldt, um monitor cardíaco para pessoas com sonambulismo, visando evitar acidentes domésticos.

O sonambulismo é considerado um distúrbio benigno do sono, que atinge principalmente crianças e, apesar de não ter cura, pode desaparecer espontaneamente. De maneira geral, a pessoa que sofre do transtorno pode sentar, andar, falar ou fazer atividades repetitivas, até de olhos abertos, enquanto está no estágio mais profundo do sono.

Apesar de não causar danos específicos à saúde, os episódios de sonambulismo estão associados a acidentes domésticos, já que algumas pessoas tropeçam, abrem janelas ou tentam cortar alimentos nesse estado, por exemplo.

Durante a pesquisa, em artigos e centros especializados como o Instituto do Sono e na Universidade de São Paulo (USP), Nathália descobriu que a frequência cardíaca de um sonâmbulo durante o episódio é semelhante a de uma pessoa que está acordada fazendo atividades.

O monitor criado pela estudante usa um pequeno sensor de batimentos cardíacos ligado a uma placa de arduíno, que é uma placa eletrônica usada para programar comandos, e a uma placa de bluetooth, que envia sinais para um aplicativo no computador ou smartphone.

A ideia é que o sonâmbulo use uma pulseira vibratória que possa ser acionada pelo monitor cardíaco toda vez que um episódio de sonambulismo for detectado. Dessa maneira, a pessoa acordaria e poderia retomar a noite de sono.

Outra possibilidade seria enviar as informações para um parente ou companheiro que pudesse ser alertado sobre o estado de sonambulismo a fim de auxiliar a pessoa durante o episódio.

Mito

Não há problemas em acordar uma pessoa em estado de sonambulismo, ao contrário do que muitos imaginam. Especialistas alertam, apenas, que acordar um sonâmbulo de maneira brusca ou provocando um susto muito grande pode gerar traumas ou levar a uma parada cardíaca.

O projeto da jovem estudante ficou em segundo lugar na edição deste ano da Feira de Ciências de São Paulo, o principal evento do tipo no estado. Além disso, uma parceria entre a escola e uma empresa americana no Brasil devem garantir testes em pacientes com o distúrbio.

#educação#tecnologia#saúde#sonambulismoFavoritar

Fonte: BBC

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.