Notícias

< voltar
05/Nov/2018 - 08:08 - Atualizado em 31/Out/2018 - 12:11

Alunos da rede municipal criam canal no YouTube sobre microbiologia

Seis estudantes participam de um projeto de iniciação científica e disseminam o conhecimento por um canal no YouTube


Por Redação Belo Horizonte/MG
Estudantes e seus professores são responsáveis pelo canal no YouTube
Crédito: Divulgação

O YouTube se tornou uma grande fonte de conteúdos dos mais diversos tipos. De forma democrática, lá pessoas comuns têm a oportunidade de falar sobre o que quiserem e até se tornarem referências em assuntos.

Um grupo de seis jovens cientistas mirins está fazendo sucesso na plataforma com vídeos sobre microbiologia. O canal Incrível Invisível é produzido pelos youtubers Duda, Carol, Gustavo, Alice, Amanda e Kaká. O grupo estuda na Escola Municipal Professora Maria Modesta Cravo, na região Nordeste de Belo Horizonte, e faz iniciação científica em parceria com o Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG e o Laboratório de Microbiologia Aplicada do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

Na iniciação científica os jovens participam de discussões e pesquisas sobre microrganismos. Como parte do projeto “O Incrível Invisível”: microrganismos em ação”, os cientistas mirins são responsáveis por multiplicar os conhecimentos e experiências adquiridos no projeto para os 150 alunos do 3º ano do ensino fundamental, além de envolver toda a comunidade escolar.

A partir daí, surgiu a ideia de fazer um canal no YouTube. Para tornar a linguagem científica mais fácil e atraente, as funções e os papéis dos microrganismos no microssistema são estudados em comparação com os poderes de super-heróis infantis. Além dos vídeos, o grupo produziu um álbum de figurinhas com desenhos de 16 microrganismos que são estudados.

Assista a um dos vídeos:

Conteúdos

Os alunos da Escola Municipal Professora Maria Modesta Cravo ajudam a multiplicar os conhecimentos adquiridos no projeto. Entre eles estão o cultivo de microrganismos; acompanhamento da velocidade em que eles se multiplicam; aprendizado sobre alimentos; identificação do bolor como um conjunto de fungos, além de estudos sobre antibióticos contra bactérias que ajudam a salvar a vida de milhares de pessoas em todo o mundo.

#tecnologia#ciência#conhecimento#comunicação#microbiologiaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.