Notícias

< voltar
04/Nov/2016 - 08:00 - Atualizado em 04/Nov/2016 - 22:34

Após ser rejeitada pelo Starbucks, sueca abriu a própria cafeteria

História da Wheelys, que hoje conta com 500 cafeterias espalhadas pelo mundo, é inspiração para empreendedores


Por Redação

Proposta da Wheelys é ser uma cafeteria artesanal, sustentável, barata e tecnológica

Crédito: Divulgação

A rede de franquias Wheelys surgiu da persistência de sua criadora, a sueca Maria de la Croix. Há três anos a jovem barista procurava uma oportunidade de emprego em uma das lojas da Starbucks, famosa rede americana de cafés, na cidade de Estocolmo. No entanto, ela não foi aceita por ter um cabelo ‘muito azul’, como conta a empreendedora em seu site.

Maria de la Croix seguiu em frente e decidiu montar o próprio negócio: uma cafeteria artesanal, sustentável, barata e tecnológica. A sueca desenvolveu uma espécie de ‘food bike’ e, com uma licença para operar, estacionou seu empreendimento bem à frente da loja que a havia rejeitado.

Maria de la Croix foi rejeitada na rede Starbucks por ter cabelo azul

Crédito: Divulgação

Atualmente, a rede de franquias Wheelys já vendeu mais de 500 cafeterias móveis para mais de 60 países. A inspiração para criar o negócio veio de startups como Airbnb e Uber, que provocaram uma mudança em setores tradicionais. Cada carrinho da rede custa US$ 7 mil, em seu modelo mais novo, com painéis solares e moinho de vento, que produzem energia para o ‘food bike’.

A cafeteria móvel conta Wi-Fi gratuito, pedais elétricos para subir ladeiras íngremes, um purificador de ar, e um lixo para reciclar os resíduos de café. Tais resíduos podem ser misturados com um pequeno cubo vendido pela rede, que contém nutrientes e sementes de flores. A proposta é que o franqueado coloque os cubinhos em terras por onde passa, para florear os locais.

Conheça a Wheelys.

#inovação#startup#starbucks#cafeteria#Wheely'sFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.