Notícias

< voltar
05/Fev/2019 - 11:14 - Atualizado em 05/Fev/2019 - 12:06

Brasil é o país com o maior número de empreendedores individuais do mundo

Relatório global aponta que 53% dos empreendedores brasileiros atuam sem cofundadores ou funcionários


Por Pedro Matos/SIMI Belo Horizonte/MG
Com a ascenção do desemprego, é natural que pessoas invistam em um negócio próprio como fonte de renda. 
Crédito: Pixabay

Tocar um negócio sozinho pode parecer desafiador, mas essa tem sido a escolha de uma parcela considerável de empresárias e empresários brasileiros. De acordo com o relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) publicado no final de janeiro, 53% das empresas em atividade no Brasil são compostas por uma única pessoa. No mundo, o empreendedorismo individual representa 9% do total. O GEM mapeou o cenário do empreendedorismo em 49 países.

Isso coloca o Brasil no topo do ranking mundial nesse critério e com muita margem de sobra. Para se ter uma ideia, o segundo lugar ficou com Madagascar, onde 30% dos empresários não têm sócios ou funcionários. Mas esse não é necessariamente um aspecto positivo para a nação brasileira. Parte dessa realidade pode ter sido motivada, por exemplo, pela crise financeira da qual o país ainda tenta se recuperar. Com a ascenção do desemprego, é natural que pessoas invistam em um negócio próprio como fonte de renda. 

Por outro lado, isso também demonstra o espírito empreendedor do povo brasileiro, conhecido mundialmente por sua criatividade. Os jovens brasileiros, em especial, acreditam que empreender é bem mais do que uma forma de ganhar dinheiro. De acordo com pesquisa divulgada no ano passado pela Fundação Telefônica Vivo, em parceria com o IBOPE Inteligência e Rede Conhecimento Social, 61% dos jovens brasileiros enxergam o empreendedorismo como um propósito de vida e 55% concordam que empreender é colocar em prática seus sonhos.

Vale destacar que, pela primeira vez, o relatório se preocupou em diferenciar os empreendedores individuais das pessoas que empreendem via aplicativos, como Uber, 99 e Airbnb, por exemplo. O GEM analisou a participação desse tipo de empreendedorismo em 27 países. O Brasil não foi contemplado. Mas é interessante observar a relevância desse modelo em algumas economias. Na Coréia do Sul, por exemplo, um a cada cinco adultos está envolvido nesse tipo de atividade.

O relatório da GEM é uma respeitada fonte de informação e pesquisa sobre empreendedorismo mundial, fundado há 20 anos pela London Business School (Inglaterra), em parceria com o Babson College (EUA).

O estudo se destaca porque diferente da maioria dos conjuntos de dados sobre o empreendedorismo, a pesquisa GEM analisa o comportamento de indivíduos em relação à abertura e administração de empresas.

Para baixar o estudo completo, clique aqui.

#empreendedorismo#inovação#negócios#GEMFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.