Notícias

< voltar
10/Jul/2018 - 15:46 - Atualizado em 10/Jul/2018 - 16:56

Conheça 8 empresas mais inovadoras do Brasil segundo o Valor Econômico

O ranking com 150 empresa foi anunciado na 4ª edição do Anuário Valor Inovação Brasil


Por Redação Belo Horizonte/MG
Camila Cruz, da 3M, no palco recebendo premiação
Crédito: Anpei/Divulgação

No início do mês,  a cerimônia da 4ª edição do Anuário Valor Inovação Brasil revelou os rankings das 150 empresas mais inovadoras do país. Realizado pelo jornal Valor Econômico em parceria com a Strategy&, consultoria estratégica da PwC, o anuário é produzido a partir de pesquisa disponibilizada às empresas com pelo menos 5% de participação privada em seu capital e com receita líquida no Brasil acima de R$ 500 milhões em um dos dois últimos anos fiscais.

De acordo com o sócio da Strategy&, Eduardo Fusaro, a metodologia de avaliação das empresas tem como base cinco pilares: intenção de inovar, esforço para realizar a inovação, resultados obtidos, avaliação do mercado e geração de conhecimento. A novidade deste ano está no último critério – medido de acordo com o número de patentes publicadas no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) pela empresa em 2017.

O SIMI selecionou as 8 primeiras colocadas do ranking nacional. Confira abaixo quais são elas:

Pelo terceiro ano consecutivo, a Embraer conquistou o topo do ranking das empresas mais inovadoras do país. A empresa aplica cerca de 10% do faturamento, de US$ 6 bilhões anuais, em PD&I. De acordo com o diretor de estratégia de inovação da Embraer, Sandro Valeri, aproximadamente 50% da receita da empresa é gerada por produtos e serviços criados nos últimos cinco anos.

Na segunda colocação está a Whirlpool. João Carlos Brega, CEO da empresa na América Latina, acredita que o trabalho de pesquisa e desenvolvimento é igual ao de uma engrenagem “Não pode parar. Sabemos que a economia tem ciclos, por isso é preciso sempre conciliar a estratégia de longo prazo com a execução do curto prazo.” Atualmente, a empresa trabalha no desenvolvimento de produtos que serão lançados nos próximos dois anos. Somente neste ano estima-se que 200 novos produtos serão lançados na América Latina, dos quais 60% destinam-se ao Brasil.

Dona do terceiro lugar e de uma carteira bilionária de projetos de PD&I está a Petrobras. A empresa quer acelerar a caminhada rumo à revolução da indústria 4.0 para aumentar a segurança e a eficiência de suas operações. Para isso, ela tem se aproximado mais das startups para gerar conhecimento para os projetos, afirma Orlando Ribeiro, gerente do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes).

O quarto lugar está com a Natura. Após perceber que novos produtos são tão importantes, a empresa estabeleceu um índice de inovação baseado nos lançamentos. De acordo com a empresa, o cálculo leva em consideração a somatória da receita bruta dos últimos 12 meses, proveniente de produtos lançados em 24 meses versus a receita bruta total dos 12 meses. Entre 2016 e 2017, o índice cresceu 7,5 pontos percentuais, passando de 57,1% para 64,6%.

Já a estratégia da 3M Brasil é estimular a interação entre suas subsidiárias para acelerar o desenvolvimento colaborativo de soluções inovadoras de interesse comum. Camila Cruz, diretora de pesquisa e desenvolvimento da 3M Brasil, explica que a partir da nova abordagem será possível compartilhar os projetos ainda na fase inicial, “identificar mercados com necessidades similares e começar o quanto antes o desenvolvimento conjunto”.

Ocupando o 6º lugar está outra empresa que direciona cada vez mais os esforços de inovação aos conceitos da indústria 4.0: a WEG, fabricante de motores elétricos. O WEG Motor Scan, por exemplo, é um sistema de monitoramento das condições gerais do equipamento.

Na 7ª colocação está a Cielo, que escolheu alocar as duas áreas voltadas para inovação no projeto “Garagem Cielo”. O projeto tem como função promover debates, projetos e hackathons focados na inovação. O resultado de uma dessas pesquisas foi o desenvolvimento do terminal Lio, lançado em 2016. Além de transacionar cartões, o usuário conta com ferramentas e aplicativos de gestão de estoque e de fluxo de caixa.

Com 1,2 mil patentes vigentes, a Embraco conseguiu reduzir em até 50% o tempo de pesquisa e desenvolvimento. Cerca de 60% da receita da instituição vem de produtos desenvolvidos nos últimos cinco anos.


Dicas para quem deseja inovar na empresa

* Como conhecer a fundo os principais trends do mercado e de seus setores de atuação

* Ter estratégia e metas claras e controlar os resultados

* Investir de forma estratégica; desenvolver parcerias e colaborações

* Compartilhar a relevância da inovação e os seus resultados com toda a organização

#inovação#valoreconomico#empresasinovadorasFavoritar

Fonte: Anpei

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.