Notícias

< voltar
12/Nov/2018 - 16:00 - Atualizado em 12/Nov/2018 - 17:04

Conheça o laboratório comunitário de inovação social de MG, que é destaque internacional

Bliblioarte Lab, de Poços de Caldas, produz inovação social que já impactou a vida de mais de 100 mil jovens


Por Redação Belo Horizonte/MG
Crédito: Divulgação

Minas Gerais tem uma biblioteca que está chamando a atenção da comunidade internacional de inovação e impacto social. De dentro do pequeno mezanino da Biblioteca Municipal  de Poços de Caldas, a comunidade leitora, artistas digitais, desenvolvedores, pesquisadores, educadores e empreendedores criativos produzem inovações sociais que já impactaram a vida de quase mil jovens.

Chamado de BiblioArte LAB, o laboratório comunitário de inovação social foi certificado e premiado por organizações como Unesco, Finep, Instituto Péter Murányi, entre outros. Recentemente, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) reconheceu a contribuição do projeto para a cultura de inovação brasileira e indicou o BiblioArte LAB como finalista do Prêmio Jabuti 2018, no entanto, o espaço não conquistou a premiação.

A experiência vem sendo desenvolvida há três anos pela organização social Casa da Árvore - Cultura Digital e Aprendizagem Criativa. Neste tempo, o BiblioArte LAB vem desenvolvendo uma abordagem para bibliotecas públicas ampliarem sua contribuição com os desafios locais para o desenvolvimento sustentável (ODS_ONU) e outros pactos globais, como a Alfabetização Midiática Informacional (AMI_Unesco).

“Estamos mostrando que as bibliotecas podem ser o coração da aprendizagem para o século XXI, além de um elemento estratégico na promoção de inovações de base comunitárias, que impactem realmente na redução das desigualdades”, disse Aluísio Cavalcante, o designer de inovação e cofundador da Casa da Árvore, Aluísio Cavalcante.

O objetivo do BiblioArte LAB é criar em bibliotecas públicas, comunitárias e escolares uma ambiente favorável para que a comunidade seja a grande protagonista de transformações sociais a partir de suas experiências tecnológicas e de leitura de mundo.

Os resultados são visíveis, como no aumento de 60% no fluxo de jovens na Biblioteca Centenário e de 30% na frequência de leitura literária espontânea entre os participantes do laboratório.  Pelos impactos e o potencial para transformar a realidade de outros contextos socioculturais, o projeto também recebeu o Prêmio ARede.Educa e é uma das 137 iniciativas brasileiras com o certificado de Inovação e Criatividade na Educação Básica (MEC, Ashoka).

Educação, cultura e novas tecnologias como base para inovação social

Crédito: Divulgação

Além do BiblioArte, o projeto destacou ainda que o projeto possui duas linhas de atuação: os Laboratórios Criativos de Leitura e Cultura Digital (LAB Criativo) e o Fomento a Empreendimentos Criativos.

De acordo com Leila Dias, empreendedora social e fundadora da ONG Casa da Árvore, o LAB Criativo é um convite para crianças e adolescentes criarem produtos culturais tecnológicos a partir das suas experiências literárias. “Constitui-se de um conjunto de  atividades dedicadas a ampliar as habilidades desses jovens leitores com novas linguagens e novos processos informacionais.” Ainda de acordo com a coordenadora, o Lab é um desafio divertido que integra de maneira lúdica o estímulo à leitura, a alfabetização midiática informacional, a experiência vocacional e o protagonismo social. Entre os laboratório oferecidos estão o LAB Robótica Poética, o LAB GIFS Literários, o LAB Rede de Leitores e o LAB Hiperespaços de Leitura.

Ao trabalhar Empreendimentos Criativos de Impacto Social do BiblioArte LAB, a biblioteca passou a acolher grupos de jovens, muito deles, talentos das áreas da tecnologia, das artes e da comunicação, garantindo acesso a meios de produção e o apoio técnico e profissional para o desenvolvimento de projetos experimentais. Dentre as iniciativa aceleradas está a revista literária infantojuvenil eletrônica Página 9 ¾ e o aplicativo LEIA_ME!, uma rede social desenvolvida com a participação de usuários da biblioteca, além do movimento de ocupação literária #TerritóriosLiterários, que explora as mídias locativas para transformar as cidades em uma grande e livre plataforma de influência de leitura.

#inovação#poçosdecaldas#biblioarte#inovaçãosocialFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.