Notícias

< voltar
02/Jan/2019 - 10:38 - Atualizado em 02/Jan/2019 - 12:26

Escola brasileira feita de madeira é eleita o melhor edifício do mundo

O prêmio do Instituto Real de Arquitetos Britânicos de 2018 foi para a Aldeia de Crianças de madeira e tijolo de barro em Canuanã, no Tocantins


Por Alysson Lisboa com The Guardian Belo Horizonte
O complexo é um modelo de design ambiental de toque leve, proporcionando uma enorme extensão de sombra 
Leonardo Finotti/Rosenbaum Arquitetura 2017

No Norte do Brasil, onde as temperaturas podem ultrapassar os 45 graus centígrados, uma escola de madeira se destaca no cenário e ganha visibilidade mundial. Como se a floresta próxima tivesse tomado conta do prédio, entre troncos altos, estão conjuntos de pequenas salas de tijolos de barro dispostos em torno de pátios abertos, enquanto um toldo de metal fino flutua sobre toda a cena, proporcionando sombra no calor sufocante.

Desenhada pelo arquiteto Aleph Zero e o designer Marcelo Rosenbaum, a Vila das Crianças foi vencedora do Prêmio Internacional RIBA para o melhor edifício do mundo. É um elogio improvável de se encontrar em uma escola remota em uma parte distante do Brasil, projetada por um casal de 30 e poucos anos que construiu pouco mais do que algumas casas particulares e algumas instalações antes de conseguir essa visibilidade.

VENTILAÇÃO NATURAL

O que reduz o calor são paredes perfuradas e respiráveis, que permitem ventilação cruzada natural. Para chegar no desenho, foi preciso escutar alguns dos adolescentes estudantes e passar 10 dias imerso no local. Isso permitiu entender como os estudantes poderiam morar naquele local. A instituição é um internato  e atende a remota região agrícola ao redor do município de Formoso do Araguaia, onde os alunos viajam longas caminhadas a cavalo por estradas não pavimentadas. O isolamento tornou a construção um desafio também.

O desafio era convencer os alunos e professores de que os materiais locais como terra, tijolos e madeira poderiam representar progresso - que ser moderno não tem que significar vidro, aço e ar-condicionado. O resultado foi um design ambiental de toque leve, proporcionando uma enorme extensão de sombra, sob a qual conjuntos de pequenos edifícios são organizados. Nenhum ar condicionado é necessário, mesmo em calor 45 graus. A única reclamação que os estudantes fizeram foi na verdade ser fria à noite, um problema facilmente resolvido com mais cobertores.

O prédio desbancou projetos arquitetônicos de várias partes do mundo
Leonardo Finotti/Rosenbaum Arquitetura 2017


O Prêmio Internacional Bienal do RIBA foi concedido pela primeira vez ao campus de concreto de Grafton para a universidade UTEC, em Lima, no Peru, em 2016. Considerado um dos mais rigorosos prêmios de arquitetura do mundo, o processo de seleção fez um júri visitar uma longa lista de 30 prédios ao redor do mundo. A Aldeia das Crianças bateu a concorrência do edifício O'Donnell & Tuomey para a Universidade da Europa Central, em Budapeste, da Escola de Música Toho Gakuen, em Tóquio, e das torres de apartamentos cobertas de árvores em Milão.

#arquitetura#agendaescolarFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.