Notícias

< voltar
28/Dez/2017 - 10:00 - Atualizado em 10/Mai/2018 - 14:53

Escolas públicas de MG vão ganhar lâmpadas de LED

Iniciativa faz parte do Programa Energia Inteligente, da Cemig, e deve economizar cerca de 2.000 MWh por ano


Por Redação

As lâmpadas ineficientes de mais de 150 escolas estaduais de Minas Gerais serão substituídas por lâmpadas de LED em 2018. A ação faz parte do Programa Energia Inteligente da Cemig e tem como objetivo gerar economia e disseminar a cultura do consumo consciente e sustentável entre os alunos da rede pública de ensino.

Segundo a empresa, a substituição das lâmpadas deve gerar uma economia em torno de 2.000 MWh por ano, o que seria suficiente para atender mais de 1.400 residências anualmente. As lâmpadas de LED também diminuem os impactos para o meio ambiente, uma vez que reduzem o custo de manutenção do sistema elétrico e melhoram a qualidade da iluminação nos ambientes.

A Cemig fará a reciclagem de todos os materiais e equipamentos substituídos, visando garantir a correta destinação dos resíduos gerados na substituição da iluminação das escolas. A medida atende uma determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica - Aneel.

Programa Energia Inteligente

O Programa Energia Inteligente da Cemig é regulado pela Aneel e se baseia no incentivo à mudança de hábitos, resultando na redução e eliminação do desperdício como forma de bom uso e preservação dos recursos naturais. Os projetos do programa são voltados para clientes de baixa renda, entidades sem fins lucrativos, prefeituras, hospitais, iniciativa privada e para a área de educação. Entre as ações, destacam-se a substituição de chuveiros elétricos por sistemas de aquecimento solar, a substituição de lâmpadas ineficientes e a troca de autoclaves antigas com alto consumo de energia por mais modernas e mais eficientes.

#educação#sustentabilidade#energia#LEDFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.