Notícias

< voltar
26/Abr/2018 - 09:00 - Atualizado em 27/Abr/2018 - 00:44

Estudantes com deficiência se destacam na UFLA

Número de pessoas com deficiência nos cursos de graduação presenciais teve sua maior marca em 2017


Por Redação
Priscilla Francelino recebeu a outorga de grau no curso de licenciatura em Educação Física
UFLA/Divulgação

O número de pessoas com deficiência nos cursos de graduação presenciais da Universidade Federal de Lavras (UFLA) vem crescendo e teve sua maior marca em 2017. De acordo com dados da universidade, no ano passado 36 estudantes com deficiência ingressaram na UFLA pelos processos seletivos e, em 2018, o quantitativo já é de 23 estudantes, considerando apenas os dados do primeiro período letivo. De acordo com a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (Praec), ao todo, considerando ingressantes e veteranos, graduação e pós-graduação, há hoje 91 estudantes na UFLA que declararam deficiência.

Se ingressar no curso superior é apenas o começo de uma caminhada importante para esses estudantes. Em março deste ano, Priscilla Maria da Silva Francelino recebeu a outorga de grau no curso de licenciatura em Educação Física. Com necessidades educacionais especiais (transtorno de déficit de atenção - TDA, grau leve de autismo e uma perda parcial de audição), Priscilla superou obstáculos e concluiu o curso.

A jovem conta que, após ter estudado na Apae e depois em uma escola regular, recebeu grande incentivo de uma amiga para investir na graduação. “Quero trabalhar na área escolar, seja com estudantes de ensino fundamental, seja com estudantes de ensino médio. E ainda quero continuar a caminhada acadêmica, fazendo mestrado”, garante Priscila.

Recentemente, a UFLA criou a Coordenadoria de Acessibilidade, ligada à Praec, com o objetivo de garantir a inclusão de pessoas com deficiência ou com necessidades educacionais especiais à vida acadêmica, visando romper barreiras pedagógicas, arquitetônicas, programáticas, atitudinais e na comunicação e informação. Além disso, a coordenadoria pretende consolidar ações que promovam o acesso, a permanência e a participação dos discentes em todos os espaços acadêmicos da Universidade.

Agora, licenciada em Educação Física, Priscila quer incentivar outras pessoas a alcançarem seus objetivos. “Dificuldades vamos encontrar em qualquer lugar. O que você precisa é saber o que quer e buscar com afinco os melhores meios de conseguir. É lógico que sozinho ninguém alcança, mas contando com o suporte necessário, nós podemos chegar lá. Todos devem saber que podem ter qualquer sonho”, comenta.

É importante lembrar que o segundo período letivo de 2017 foi o primeiro em que os ingressantes passaram por processos seletivos com vagas reservadas para pessoas com deficiência. O Decreto 9.034, de 20 de abril de 2017, alterou a Lei de Cotas (Lei 12.711, de 2012) e incluiu essa reserva de vagas aos grupos de cotistas. No primeiro semestre deste ano, dos 23 ingressantes com deficiência, 14 foram selecionados por meio das vagas reservadas. Entre as deficiências relatadas no ingresso, estão baixa visão, cegueira, deficiência auditiva, deficiência física e deficiência intelectual.

#EnsinoSuperiorFavoritar

Fonte: UFLA

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.