Notícias

< voltar
20/Nov/2017 - 11:00 - Atualizado em 20/Nov/2017 - 11:14

Maior usina de energia solar da América Latina começa a funcionar em Pirapora

Usina terá capacidade de 400 MW, o suficiente para fornecer energia para 420 mil casas durante um ano


Por Redação
Os painéis foram instalados a 1,20 metro do solo e giram acompanhando o movimento do sol
Crédito: Divulgação/EDF Energies Nouvelles

Começou a funcionar em Pirapora, cidade do Norte de Minas, a maior usina de energia solar da América Latina. Localizada em um terreno equivalente a 1.500 campos de futebol, a usina terá uma capacidade de 400 MW, o suficiente para fornecer energia para 420 mil casas durante um ano.

O projeto pertence à francesa EDF Energies Nouvelles (EDF EN) e a implementação teve início em setembro. O local foi escolhido por ser uma planície com pouca vegetação e um sol abrasador. Mesmo com o céu nublado a produção continua, mas diminui em cerca de 30%. Para poder visitar a usina, deve-se colocar uma espécie de polainas que parecem caneleiras para evitar picadas de cobras ou aranhas.

Os painéis foram instalados a 1,20 metro do solo e giram acompanhando o movimento do sol, controlados por um dispositivo que também é alimentado pela energia solar. Ao meio dia, os painéis ficam praticamente horizontais. A usina deve atingir sua produção máxima até o final do primeiro semestre de 2018.

A EDF EN detém 80% do projeto. Os 20% restantes pertencem ao grupo canadense Solar, que fabrica localmente aproximadamente 1,2 milhão de painéis fotovoltaicos do complexo em uma fábrica no estado de São Paulo.

Segundo os dados mais recentes do Ministério de Energia, apenas 0,2% da energia do Brasil é solar. A usina de Pirapora faz parte do processo de desenvolvimento dessa tecnologia no país.

#inovação#tecnologia#sustentabilidade#energiaSolar#PiraporaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.