Notícias

< voltar
06/Jan/2017 - 12:03 - Atualizado em 04/Mai/2018 - 10:57

Minas Gerais se firma como polo de inovação e empreendedorismo

Governo do Estado investe em inovação tecnológica para gerar oportunidades, fortalecer a economia e estimular empreendedores


Por Redação
Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (Finit), no Expominas, reuniu cerca de 50 mil participantes
Crédito: Gabriel Maciel/Sedectes

Minas Gerais está cada vez mais atenta à tecnologia, inovação e empreendedorismo. Nos últimos anos, o apoio e incentivo à indústria criativa ganharam destaque no estado, que agora prioriza a inovação, bem como a Ciência e Tecnologia.

O ano de 2016 contou com vários eventos expressivos que comprovam o empenho do estado em diversificar a economia através da inovação. O Fórum de Mídias Sociais (Foms), a Campus Party e a Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (Finit) são alguns dos exemplos.

A Finit, por exemplo, contou com mais de 50 mil participantes e teve, em sua programação, a Campus Party, encontros de empreendedores, estandes de instituições mineiras de ensino e participação de instituições de fomento à inovação e à tecnologia.

Celeiro das startups

As startups também têm tido muitas oportunidades e apoio em Minas Gerais. O SEED, conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), oferece às startups selecionadas formação empreendedora, mentorias, capital semente (de até R$ 80 mil) e o contato entre equipes numa verdadeira conexão com o ecossistema local.

O sucesso do programa é tanto que quatro startups mineiras, todas aceleradas pelo Seed, ocuparam as primeiras colações no Startup Games, competição que reuniu 50 empresas nacionais e internacionais na British House, residência oficial do Reino Unido no Brasil durante as Olimpíadas Rio 2016.

Minas Gerais é hoje o segundo maior ecossistema de startups do Brasil, atrás apenas de São Paulo. Abriga o San Pedro Valley, comunidade de empreendedorismo que é referência para negócios de base tecnológica no país, os polos de Santa Rita do Sapucaí, BH-Tec e Viçosa; conta com mais de 20 incubadoras distribuídas em 16 cidades; e é o maior estado em número de universidades públicas do Brasil.

 “Todos estes avanços são reflexo da aposta estratégica que foi feita nesta gestão nas áreas de inovação e tecnologia. Estes segmentos e essas empresas têm alto potencial de crescimento e são extremamente relevantes para a geração de empregos e renda no estado”, destaca o secretário da Sedectes, Miguel Corrêa.

Complexos tecnológicos

Passa importante para estimular a criação e instalação de empresas em Minas Gerais é a abertura de parques tecnológicos, complexos que agregam, em um mesmo espaço, empresas de base tecnológica, universidades e outros centros de pesquisa e desenvolvimento. O estado conta com três parques em operação (Belo Horizonte, Viçosa e Itajubá) e três em implantação (Lavras, Juiz de Fora e Uberaba).

Reestruturação das Uaitecs

A Rede Uaitec – Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais hoje oferece vagas ilimitadas para mais de 70 cursos de capacitação e qualificação profissional em Educação a Distância (Ead), 24 mil vagas nos seis cursos profissionalizantes em Tecnologia da Informação (TI) e outras 10 mil vagas em cursos idomas.

A iniciativa objetiva ampliar, democratizar e interiorizar o acesso a conteúdos pedagógicos, além de contribuir para a qualificação da mão de obra no estado. Entre 2015 e 2016, segundo a Superintendência de Inovação da Sedectes, mais de 220 mil pessoas foram matriculadas.

Futuro

Para os próximos anos, a aposta da Sedectes é investir em projetos de capacitação de jovens para estimular a cultura do empreendedorismo e tecnologia desde a sua formação.

“Estamos trabalhando para lançar três editais de programas de incentivo. O Startup Júnior, voltado para alunos do ensino médio da rede pública do estado; o Startup Universitário, para alunos das faculdades públicas e privadas; e o Seed 2.0, uma edição mais avançada do programa que temos hoje, voltado para a conexão com o mercado e para a internacionalização”, explicou o secretário Miguel Corrêa.

#empreendedorismo#inovação#tecnologia#MinasDigitalFavoritar

Fonte: Agência Minas

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.