Notícias

< voltar
31/Jan/2018 - 18:00 - Atualizado em 31/Jan/2018 - 19:02

Neurocientista constrói dispositivo capaz de controlar insetos

Greg Gage participou da Campus Party e falou com nossa equipe sobre neurociência


Por Pedro Matos/SIMI

Greg Gage promoveu palestra interativa com público da Campus Party
Crédito: Lucas Nolasco

O que você sabe sobre neurociência? E se você tivesse a chance de ouvir um dos grandes especialistas no assunto dando uma mini aula sobre o tema? Essa foi uma das primeiras missões que a equipe do SIMI se propôs a cumprir na 11ª edição da Campus Party Brasil, que começou nesta terça-feira, dia 30 de  janeiro.

Logo após a tradicional abertura do evento, o PhD em neurociência Greg Gage subiu ao palco e mostrou um de seus mais recentes trabalhos: Gage, que também é formado em engenharia elétrica e é CEO da startup Backyard Brains, mostrou como ele tem aliado neurociência e IoT para controlar baratas!

Por meio de uma espécie de exoesqueleto de baixo custo, que ele mesmo desenvolveu, Gage explica que é possível “enganar” o inseto, fazendo com que ele tome decisões com base nos impulsos enviados por meio de um controle, que pode ser um Iphone, por exemplo.

Segundo Gage, a ideia de usar insetos vem do fato de que, assim como na comunicação entre os neurônios dos cérebros humanos, conexões elétricas são características nos seres invertebrados. Outro ponto favorável é que qualquer pessoa consegue encontrar facilmente insetos para tais experimentos. E sua startup, Backyard Brains, foi criada justamente para despertar o interesse de jovens pela neurociência.

Assista abaixo ao vídeo da TV SIMI com Greg Gage falando sobre neurociência. Em seguida, veja o vídeo ilustrativo sobre o dispositivo utilizado para controlar insetos da Backyard Brains.

#inovação#tecnologia#campusparty#tecnologiaparasaúde#neurocientistaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.