Notícias

< voltar
26/Fev/2018 - 18:44 - Atualizado em 01/Mar/2018 - 12:43

O setor jurídico também se rende à inovação

Global Legal Hackathon, maratona que aconteceu simultaneamente em mais de 50 países, desembarcou em BH no fim de semana


Por Alysson Lisboa/SIMI
Paula Figueired, presidente da Comissão de Startups da OAB/MG: "o evento vai trazer soluções concretas para o setor jurídico"
Crédito: Simi/Divulgação

Buscar inovação para o setor jurídico. Esse foi o desafio que reuniu, neste fim de semana, 10 equipes para desenhar e apresentar soluções para o setor. Foram 54 horas com uma maratona de atividades e muita correria para conseguir validar uma ideia. O Global Legal Hackathon, organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, seção Minas Gerais (OAB/MG), e Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) foi um sucesso e reuniu no Seed, no final da noite de domingo, grupos que apresentaram suas ideias para uma seleta banca de jurados.

Minimizar erros, contratar mão de obra temporária e controlar processos e procedimentos. Tudo isso integrando eficiência e muita tecnologia. Essas foram algumas das soluções trazidas pelas equipes. Mais que uma solução para problemas no campo do direito, o hackathon possibilita aprendizado e formação de equipe. Os maiores vitoriosos são aqueles que conseguem chegar ao final e ver a ideia ganhando forma.

Premiações

Isac Sandin, Virgínia Tavares, Alan Cardoso, Luiza Gazola e Lucas Ribeiro formam o time  da Appriori, que ficou em primeiro lugar. "Impressionante o ganho que a gente teve com o tempo. A mentoria e a validação foram fundamentais para que o nosso projeto fosse vencedor", completa Isac. A equipe poderá receber investimento de R$ 10 mil e uso do coworking da BMG UpTech além de R$ 4 mil em dinheiro, consultoria, coaching e mentoria. O segundo lugar ficou com a startup Resiliens e o terceiro lugar foi conquistado pela equipe Freela(w).

A maratona

O evento teve início na sexta-feira quando as equipes foram formadas. No sábado, bem cedo, os grupos começaram a formatar os projetos e receberam o apoio de vários mentores. O objetivo da mentoria é apontar possíveis falhas e dar um norte à equipe. No sábado as equipes também fizeram a validação da ideia que foi apresentar a solução para possíveis clientes. Já no domingo, na reta final, a ideia foi montar a apresentação, ensaiar o pitch e mostrar as soluções em apenas cinco minutos. 

Veja como foi o evento:

#hackton#advocaciaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.