Notícias

< voltar
15/Ago/2017 - 00:00 - Atualizado em 11/Ago/2017 - 16:16

Pesquisadores conseguem restaurar audição por terapia genética

Técnica testada em ratos pode ser caminho para tratar problemas auditivos em humanos


Por Redação

A terapia genética tem gerado bons frutos nos estudos para tratar problemas auditivos. Em 2015, um grupo de investigadores do Boston Children's Hospital e da Escola Médica de Harvard conseguiu dar audição rudimentar a ratos surdos.

Outro grupo, no entanto, parece ter consigo ir além recentemente. Por meio de um vetor de terapia genética melhorado, os pesquisadores garantem ter conseguido restaurar a audição dos ratos a um nível maior: até 25 decibéis, o que equivale a um sussurro.

O grande responsável por isso é o vetor sintético Anc80. Quando introduzido na cóclea (parte auditiva do ouvido interno), o vetor era capaz de transferir os genes para células difíceis de alcançar. "Neste estudo mostramos que o Anc80 funciona notavelmente bem na infeção das células de interesse no ouvido interno", disse Konstantina Stankovic, um dos investigadores.

Diante da eficácia do vetor, o grupo decidiu por testar o estudo no tratamento de ratos com síndrome de Usher, doença que também atinge humanos e provoca surdez e cegueira, além de prejudicar o equilíbrio.

Ao introduzirem o gene corrigido no ouvido dos roedores, os pesquisadores perceberam que houve recuperação da audição. Além disso, ratos tratados pouco tempo depois do nascimento começaram a ouvir.

Medições indicaram que 19 de 25 ratos conseguiram perceber sons menos intensos. Alguns deles conseguiram ouvir sons até 25 decibéis, sensibilidade normal para o roedor.

#pesquisa#solução#audição#genéticaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.