Notícias

< voltar
26/Fev/2019 - 08:01 - Atualizado em 25/Fev/2019 - 13:59

Pesquisadores utilizam jogo para auxiliar reabilitação motora após AVC

Harpy Game foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia e conta com o apoio da Fapemig


Por Redação Belo Horizonte/MG
Harpy Game: pacientes com sequelas motoras após AVC controlam um gavião-real em jogo
Crédito: Divulgação NTA/UFU

É de conhecimento geral que a tecnologia ajuda no tratamento de diversas doenças. Mas você sabia que um jogo também pode ajudar pacientes? Um exemplo é o Harpy Game, jogo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Em um ambiente virtual o jogador controla o voo de um Gavião-real, passa por várias fases e completa desafios com diferentes níveis de dificuldade.

O jogo, que conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), é utilizado no tratamento de pacientes com sequelas motoras após um acidente vascular cerebral (AVC). São cinco fases e cada uma prioriza um tipo de movimento. Na primeira, por exemplo, o jogador precisa controlar o voo do gavião-real e, para isso, é preciso movimentar os braços para a direita, esquerda, para cima e para baixo.

A proposta consiste na utilização da realidade virtual para reabilitação dos braços de pacientes que tiveram AVC. No entanto, o jogo pode ser configurado para outros tipos de traumas que exigem reabilitação por fisioterapia, como por exemplo quebrar a clavícula, o punho, a bacia, entre outros.

"Este jogo, especificamente, é feito seguindo os protocolos de reabilitação para pacientes que sofreram AVC, e uma vez já configurado o fisioterapeuta apenas deve fazer a adequação do Harpy Game de acordo com as dificuldades motoras do paciente a ser tratado", explica Edgard Lamounier, coordenador da pesquisa Desenvolvimento de um Sistema de Realidade Aumentada Imersiva para Simulação e Treinamento de Usuários de Próteses de Membros Superiores.

Portabilidade

Além da reabilitação, o jogo se destaca por sua portabilidade. Para funcionar é preciso apenas um computador com o dispositivo instalado e um bracelete que faz a conexão e transporte o paciente para outra dimensão. Desta forma, o Harpy Game pode ser utilizado até mesmo dentro do quarto do hospital. "Isto aumenta muito a margem de recuperação total ou quase total do paciente, pois o tempo aqui para a reabilitação é fundamental" afirma Lamounier.

#pesquisa#tecnologia#ciência#saúde#games#UFUFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.