Notícias

< voltar
22/Out/2018 - 09:00 - Atualizado em 19/Out/2018 - 23:57

Plataformas oferecem empréstimos sem juros para empreendedores de baixa renda

Firgun e IOUU atuam no Brasil e intermediam investidores sociais com empresários de baixa renda


Por Redação Belo Horizonte/MG

O modelo de empréstimo coletivo (peer-to-peer lending) tem ganhado cada vez mais adeptos. Aproveitando a tendência, algumas associações e empresas têm desenvolvido plataformas para que pessoas físicas possam emprestar dinheiro para empreendedores ou outras pessoas físicas em troca de juros cobrados na operação. No entanto, uma nova modalidade de empréstimo coletivo está ganhando força: sem juros e para microempreendedores de baixa renda.

Pelo menos duas startups já estão aplicando a ideia no Brasil: a Firgun e a IOUU. Para solicitar o financiamento, o empreendedor se cadastra em uma das plataformas, apresenta o negócio e passa por uma validação para saber se tem ou não perfil que pode receber o investimento.

Depois, basta esperar a captação do dinheiro entre os investidores cadastrados nos sites, sistema parecido com o das plataformas de crowdfunding. Caso a meta não seja totalmente atingida, o empreendedor e o site analisam se compensa concretizar o empréstimo apenas com a quantia arrecadada ou se o valor será devolvido aos investidores.

Na Firgun, cada empreendedor pode pegar empréstimos de até R$ 3 mil sem juros, pagando em até 10 vezes. A empresa deve ter faturamento máximo de R$ 200 mil por ano e ter pelo menos dois anos de atividade no ramo.

Já a IOUU oferece empréstimo com taxas subsidiadas para nano empreendedores ou microempreendedores individuais (MEIs) de baixa renda, que faturem até R$ 81 mil por ano. O valor máximo do financiamento é de R$ 5 mil, parcelados em até 36 meses. Nesse caso, é exigido que o negócio tenha pelo menos um ano de vida.

Apesar de não cobrarem juros nas operações, os programas podem cobrar taxas pelo uso da plataforma. Na Firgun, empréstimos de até R$ 1 mil têm taxas totalmente subsidiadas. Já em empréstimos de R$ 1 mil R$ 2 mil é cobrada uma taxa de 2% sobre o valor captado e, entre R$ 2 mil e R$ 3 mil de 4%. Na IOUU, ela varia de 3% a 6% do valor da operação

Assim como em empréstimos convencionais, o pagamento das parcelas deve ser feito em dia. Em caso de atraso, a Firgun cobra multa de 2% por atraso mais juros de 0,5% por mês. Na IOUU é cobrada uma multa de 1% mais 0.33% de juros por mês de atraso.

A pessoa que quiser investir nas plataformas, pode aplicar a partir de R$ 25 na Firgun e a partir de R$ 100 na IOUU.

#empreendedorismo#inovação#investimento#empréstimoFavoritar

Fonte: Exame

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.