Notícias

< voltar
12/Set/2016 - 00:00 - Atualizado em 10/Mai/2018 - 16:53

Projeto Fala FA.VELA realiza debate sobre empresas sustentáveis

Em evento que aconteceu no Seed, professores estrangeiros puderam contar um pouco de suas experiências e responder perguntas dos participantes


Por Alysson Lisboa/Simi
Professor José Esteban, da Universidade de Newcastle, Reino Unido: “Precisamos entender que a sustentabilidade começa em nossa casa e em nosso bairro”.
Crédito: Alysson Lisboa/Simi

Empreender com sustentabilidade. Esse foi o tema trazido pelos professores Steve Evans, da Universidade de Cambrigde, e José Esteban Castro, da Universidade Newcastle. O encontro inédito aconteceu no Seed na última sexta-feira (9) e faz parte do Projeto Fala Favela. A proposta é conhecer as histórias inspiradoras para construir cidades mais resilientes. João Souza, presidente da ONG FA.VELA, comanda o fundo de aceleração que busca ajudar empresas de moradores de vilas e aglomerados de Belo Horizonte e Região Metropolitana. O evento contou com a participação de professores, alunos, representantes da sociedade civil e iniciativa privada.

Além do projeto Fala FA.VELA, a ONG trabalha em outras duas frentes. O Pipa - Programa de Intervenção Participativa em Aglomerados e o FA.VELA Escola. No total, são 8 pessoas envolvidas que ajudam na elaboração de projetos voltados a sustentabilidade e gestão do terceiro setor. O objetivo é levar aos protagonistas envolvidos, que já empreendem em situações adversas pelo local em que vivem, oficinas e ajuda para alavancar pequenos negócios. Os empreendedores locais podem receber, por exemplo, oficinas de português. “Os participantes aprendem a escrever corretamente informações em placas, panfletos e letreiros, gerando assim, impacto até na precificação de seus trabalhos”, completa João Souza, presidente da ONG.

Em BH existem 215 vilas e favelas e atender todas elas é algo muito difícil. Tatiana Silva, uma das gestoras do projeto que trabalha a educação empreendedora, sabe que o caminho é longo, principalmente para a gestão de negócios que tenham mais cuidado com o meio ambiente e impacto direto na casa dos moradores. O trabalho vem surtindo resultado e já está chegando a outras duas comunidades, São João e Pindorama. “Queremos ter um ecossistema resiliente que possa revitalizar o espaço urbano”, conclui Tatiana.FA

O espaço do Seed ficou lotado de estudantes e convidados da ONG FA.VELA
Crédito: Alysson Lisboa/Simi

Projetos sustentáveis e inclusivos?
O pesquisador de sociologia da Universidade de Newcastle, professor de sociologia e ciência política, José Esteban Castro, enfatizou na sua fala a importância de incluir fatores socioambientais nos projetos. Precisamos dar a todos os cidadãos água limpa e um ambiente sustentável. “Temos sempre a ideia de que necessitamos preservar a Floresta Amazônica, claro que sim, mas precisamos, mais ainda, olhar ao nosso redor, a nossa cidade e nosso bairro”, completa Esteban.

Para o professor Steve Evans, diretor do Centro para a Sustentabilidade Industrial da Universidade de Cambridge, é muito importante ambientes como o do Seed para fomentar o empreendedorismo. “Vocês estão inaugurando o futuro. O negócio de vocês é diferente do negócio do passado”, destacou Evans, que foi também co-fundador de múltiplas startups. O evento conseguiu mostrar a potencialidade do terceiro setor e a visão dos jovens empreendedores de não apenas visarem o lucro em seus negócios. As novas gerações buscam a construção de um lugar melhor para viver e compartilhar a vida nas cidades.

Para conhecer o trabalho da ONG FA.VELA clique aqui.

#seed#sustentabilidade#favela#projeto#social#ong#terceirosetorFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.