Notícias

< voltar
05/Fev/2019 - 16:34 - Atualizado em 05/Fev/2019 - 17:01

Sedectes visita usina geradora de energia solar

Ação permitiu visualizar resultados de políticas públicas de incentivo a fontes renováveis


Por Redação Belo Horizonte/MG
Usina da GD Solar, localizada em Várzea da Palma
Crédito: GD Solar/Reprodução

O uso de energias renováveis vem ganhando cada vez mais destaque no mercado. A energia solar, por exemplo, é uma das alternativas para reduzir os danos ambientais de se gerar eletricidade com fontes poluidoras. No Brasil, apesar do alto índice de insolação, a produção através da energia solar ainda está longe do seu potencial. Contudo, Minas Gerais vem exercendo papel de destaque no cenário nacional para alterar esse contexto. Um dos motivos é o fomento do Governo do Estado, através de incentivos fiscais, para a instalação de novas usinas e geração de energia. Diante deste cenário, a equipe da Superintendência de Mineração, Energia e Logística da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) realizou, na última quarta-feira (30/01), uma visita técnica a uma das usinas da GD Solar, localizada em Várzea da Palma, para aprofundar conhecimento.

Segundo Guilherme Castro, técnico da Superintendência, a visita permitiu à equipe visualizar como as políticas públicas de incentivo a fontes renováveis do Governo de Minas Gerais vem dando retorno positivo. “Nosso estado tem um potencial solar enorme a ser explorado, principalmente nas regiões Norte e Nordeste. Temos uma oportunidade ímpar de gerar empregos, renda e atrair investimentos, ao mesmo tempo que diversificamos nossa matriz energética”, garante.

É possível aumentar a produção de energia, uma vez que, apesar do alto índice de insolação no território brasileiro, a produção no país ainda é modesta. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Brasil possui 2.354 usinas geradoras fotovoltaicas centralizadas em operação, com uma capacidade instalada de 1,9 GW. Este valor representa apenas 1,17% de toda a capacidade instalada no país.

Visita permitiu à equipe visualizar resultados das políticas públicas de incentivo a fontes renováveis do Governo de Minas Gerais
Crédito: Sedectes/Divulgação

O mesmo acontece com Minas. Segundo a Aneel, de toda a capacidade instalada no estado, apenas 2,93% utiliza energia solar como fonte geradora. Apesar do baixo percentual, Minas é considerado o estado com os melhores benefícios para instalação de projetos fotovoltaicos. Isto acontece por incentivos ofertados pela legislação, além de características favoráveis para projetos solar fotovoltaicos como boa infraestrutura de conexão, larga oferta de terras e a presença da sua maior concessionária na maior parte do território. Em Minas Gerais, usinas com capacidade de geração de até 5 MW contam com isenção de ICMS na energia gerada, além do Estado permitir a aquisição de qualquer equipamento que componha o sistema gerador sem incidência de ICMS, não obrigando a aquisição em conjunto do sistema inteiro, independentemente do tamanho do projeto.

Atualmente, o estado mineiro lidera na quantidade de unidades de micro (até 75 kW) e mini (entre 75 kW e 5 MW) geração distribuídas instaladas. Ao todo, são 9.922 usinas instaladas em residências, indústrias, prédios públicos e comércios. Elas totalizam aproximadamente 1,6 GW de potência instalada, o que significa 23,91% de todo o potencial de geração distribuída do Brasil, segundo a Aneel. Uma dessas produtoras é a GD Solar, que possui cinco usinas em operação em Minas Gerais, com investimento em torno de R$ 20 milhões, localizadas em Várzea da Palma, Buritizeiro e Jaíba e mais três em fase de construção.

De acordo com a equipe técnica da Sedectes, o Estado tem grande potencial para aumentar estes números. A visita feita pelos técnicos Guilherme Castro, Marcelo Ladeira e Pedro Sena proporcionou aprofundar conhecimento e confirmar o potencial que Minas Gerais tem.

#inovação#tecnologiaFavoritar

Fonte: Sedectes

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.