Notícias

< voltar
24/Mai/2018 - 17:00 - Atualizado em 25/Mai/2018 - 11:42

Startup de BH cria software para melhorar a gestão em consultórios médicos

iMedicina também oferece serviços de marketing de conteúdo e já conta com clientes em todo o Brasil


Por Pedro Matos/SIMI Belo Horizonte/MG
Software ajuda na organização de todas as informações de clínicas e consultórios
Crédito: iMedicina/Facebook 

Facilitar a gestão de clínicas médicas, oferecer soluções de marketing para médicos e, principalmente, melhorar a experiência de pacientes que recorrem a consultas e atendimento médico. Esses são os principais objetivos da iMedicina, uma startup belo-horizontina que tem atuação em todos os estados do Brasil.

Iniciativa do médico oftalmologista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Raphael Trotta, a startup começou sua atuação em 2016 oferecendo um software para facilitar a gestão de consultórios médicos e, ao mesmo tempo, melhorar a qualidade da experiência de pacientes. “A gente entrega soluções e maneiras para que médicos atinjam seus objetivos e conquistem mais pacientes. E também atuamos para fazer com que os pacientes encontrem os melhores profissionais”, explica Pedro Calvo, responsável pela área de marketing da startup.

Atualmente, além da digitalização e automatização dos consultórios, a iMedicina presta serviços da área de marketing para médicos. “Quando você busca dúvidas médicas na internet, a maior parte das informações não são chanceladas por profissionais. Hoje a gente já consegue produzir mensalmente centenas de conteúdos para médicos, para ajudar a popular a internet com conteúdos muito mais qualificados”, comenta Pedro.

Para isso, a startup utiliza freelancers que auxiliam na produção de conteúdo, sempre revisada pelos próprios médicos. Para se ter uma ideia, a iMedicina já oferece esse serviço a mais de 300 clientes pelo país e seu software está presente em mais de mil consultórios médicos.

Para o futuro, os mineiros pretendem levar a solução também para clínicas maiores. A ideia é alcançar esse novo segmento de clientes ainda esse ano. Além disso, de acordo com notícia publicada pela Exame, a startup teria vendido cerca de 25% da empresa para o fundo de venture capital Cedro Capital, de Brasília, resultando em um aporte de quase R$ 10 milhões para a startup. No entanto, a iMedicina não confirmou a informação, apesar de admitir que a startup passou por um recente acordo, sem dar detalhes.

A startup, com sede no Bairro Buritis, conta com 31 funcionários. Recentemente, foi selecionada para participar do programa Scale Up da Endeavor. A iMedicina tem como meta atender 5 mil clínicas até 2020.

#inovação#startup#saúde#gestão#experiênciaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.