Notícias

< voltar
30/Ago/2018 - 07:00 - Atualizado em 29/Ago/2018 - 15:01

Startup de Betim compara preços e entrega medicamentos

Remederia é uma plataforma que ajuda o usuário a comparar preços entre farmácias e também comprar medicamentos sem sair de casa


Por Redação Betim/MG
Remederia espera atender BH até o final deste ano e expandir para todo o Brasil até 2023
Crédito: Facebook/Reprodução 

O mercado de varejo farmacêutico movimenta bilhões todos os anos no Brasil. Só no ano passado, o setor faturou R$ 50 bilhões. Atentos às oportunidades de mercado, empreendedores lançaram, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o Remederia.

A startup atua como uma ferramenta para comparação de preços, compra e entrega de medicamentos, promovendo comodidade aos consumidores e também o aumento das vendas das farmácias. Segundo Alípio Souza, um dos criadores da Remederia, o negócio surgiu da percepção de que os consumidores têm pouco tempo para comparar preços nas farmácias.

“Fizemos pesquisas e vimos que a diferença de preços varia em até 500% em Belo Horizonte e região metropolitana. Por outro lado, pesquisas qualitativas nos mostraram que o consumidor precisa de fazer uma compra rápida e, por isso, acaba comprando no estabelecimento mais perto de casa”, explicou Alípio, em entrevista ao Diário do Comércio.

Por enquanto, a solução está rodando em sua versão piloto, portanto, os pedidos estão sendo entregues por motoboys associados à startup. No entanto, a ideia é que o serviço utilize o mesmo sistema do Uber, com motoristas e pilotos particulares.

A Remederia funciona apenas em Betim, com cinco farmácias cadastradas e quase 400 usuários. A meta é que a ferramenta chegue a Belo Horizonte até o final deste ano e em todo o país até 2023.

#empreendedorismo#inovação#negócios#serviços#delivery#statupsFavoritar

Fonte: Diário do Comércio

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.