Notícias

< voltar
27/Jun/2017 - 08:00 - Atualizado em 26/Jun/2017 - 16:07

Startup mineira lança plataforma gratuita de Big Data

A Gaio promete facilitar a vida das empresas com acesso a dados de forma simples, rápida e acessível


Por Redação
Eder Balbino é cientista de dados, formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Crédito: Divulgação

A startup mineira Gaio lançou sua plataforma de Big Data e Analytics. A ferramenta é gratuita e oferece, além de um painel de controle para análise de dados, uma rede social interna que gera tarefa para os colaboradores.

Com a ferramenta, os usuários podem trabalhar de forma colaborativa em torno de dados, compartilhar informações, experiências e projetos. O objetivo da startup é permitir que qualquer analista construa análises de forma amigável, sem exigir muito conhecimento em programação.

“Queremos transformar as decisões das empresas em escolhas orientadas por dados, mas de uma forma acessível, rápida e simples”, conta Eder Balbino, um dos fundadores da startup.

A Gaio permite, ainda, que analistas de diversos departamentos construam painéis interconectados sem a necessidade de programação - apenas arrastando caixas. “É uma plataforma open source que traz soluções que dão poder real aos analistas para construírem aplicações inteiras de análise do negócio”, disse Balbino.

Faturamento

Apesar de a plataforma ser gratuita, a startup pretende faturar com serviços oferecidos para a ferramenta. A empresa oferece suporte, treinamento, mentoria personalizada e a implantação dos sistema.

"Além dos serviços separados, oferecemos o T Package, um pacote de 30 dias que transforma a rotina da empresa para torná-la orientada por dados. A proposta inclui implementação, workshops, treinamentos técnicos e mentoria para construção de aplicações analíticas", detalha Balbino. 

#tecnologia#startup#BigData#analyticsFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.