Notícias

< voltar
29/Jun/2018 - 08:00 - Atualizado em 28/Jun/2018 - 14:58

Startup reduz burocracia e gastos no setor público

Plataforma da 1Doc realiza comunicação interna, atendimento ao cidadão e gestão de documentos em algumas cidades brasileiras


Por Redação Belo Horizonte/MG
Crédito: 1Doc/Divulgação

A burocracia é um dos principais problemas enfrentados no setor público. De olho nessa dificuldade, a startup 1Doc desenvolveu uma plataforma que ajuda servidores públicos a organizar o trabalho, se comunicar melhor e atender as demandas da população com maior eficiência, transparência e engajamento.

A plataforma web já realiza a comunicação interna, o atendimento ao cidadão (ouvidoria, processos e protocolos) e gestão de documentos em diversas cidades pelo Brasil. Além de substituir o papel a partir do registro das demandas internas e externas dos órgãos, a ferramenta monitora o andamento das demanda diárias em cada setor, garantindo mais transparência aos processos.

Segundo a startup, mais de 6 milhões de documentos já foram registrados pela plataforma, economizando quase 7 milhões de impressões. A estimativa de economia até então proporcionada gira em torno de R$ 860 mil.

“Sabemos que o futuro é o governo eletrônico, onde as informações necessárias para o dia a dia de trabalho e a tomada de decisão devem estar a poucos cliques de distância. Devem estar disponíveis para quem for: gestor, servidor público, empresa contribuinte ou cidadão”, anuncia o portal da startup.

Recentemente, o sócio-fundador da startup, Jéferson de Castilhos, esteve em Belo Horizonte. O empreendedor participou do I Fórum de Cidades Digitais da Região Metropolitana de BH para apresentar a importância da tecnologia no aumento da transparência e na redução do custo do poder público.

#empreendedorismo#inovação#tecnologia#startup#negóciosFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.