Notícias

< voltar
03/Ago/2018 - 07:00 - Atualizado em 02/Ago/2018 - 17:18

Startup tem crianças como parte de seu conselho diretor

Startup KidBox valoriza a voz e os pontos de vista das crianças em diversas partes de seu negócio


Por Redação Belo Horizonte/MG

A startup americana Kidbox, uma plataforma de assinatura para roupas de crianças, conta com um conselho de diretores especiais: crianças com idade inferior a 13 anos. Eles se reuniram na última semana para discutir estratégias da empresa sobre desenvolvimento de produtos e projetos de responsabilidade social.

O conselho é formado por 12 crianças e foi escolhido cuidadosamente entre centenas de candidatos. Eles foram avaliados com base no trabalho que cada um exercia em favor de sua comunidade. A ideia da empresa é se tornar uma marca forte e enfrentar a concorrência com o diferencial de ter as vozes e pontos de vistas de crianças em diversas partes do negócio.

Os jovens diretores não tomam decisões corporativas. Isso é feito por um grupo de adultos que são responsáveis por isso. No entanto, Miki Beradelli, CEO da Kidbox, em entrevista à Fast Company afirma que a empresa leva muito a sério a opinião das crianças. “Na verdade, organizamos o conselho de diretores das crianças antes mesmo de organizarmos a diretoria de adultos. Queremos que as crianças tenham uma marca na Kidbox”, disse.

O grupo se reunirá mais algumas vezes durante o ano por meio de conferências telefônicas. Além de várias guloseimas disponíveis na mesa, na última reunião as crianças receberam seus próprios cartões de visita da empresa.  

Modelo de Negócio

Lançada em 2015, a Kidbox recebe dos pais das crianças as preferências e tamanhos de roupas de seus filhos por meio de um questionário. Todos esses dados são trabalhados em uma combinação de aprendizado de máquina, ciência de dados e curadoria humana e, o resultado disso, é uma caixa com sete peças de roupa a cada dois meses enviada pela empresa aos clientes.

A empresa recebeu uma quantia de US$ 15,3 milhões de um financiamento em abril deste ano para continuar crescendo. A empresa tem, também, uma missão social e doa roupa infantil para uma instituição de caridade a cada vez que um de seus clientes prepara uma caixa de roupas que não utilizará mais. “Uma consequência boa desse programa é que os pais estão conversando com seus filhos para darem continuidade às roupas que não servem mais”, explica Miki.

#empreendedorismo#inovação#startup#negócios#gestão#KidboxFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.