Notícias

< voltar
07/Mar/2017 - 13:22 - Atualizado em 07/Mar/2017 - 13:53

A revolução das fintechs

Startups podem faturar grande fatia do lucro dos bancos tradicionais


Por Franco Serrano/SIMI Belo Horizonte

A crise econômica que o Brasil e o mundo atravessam pode ser visto, por alguns especialistas em economia, como um fator estratégico que pode vir a gerar lucros a bancos a médio prazo, mesmo com a oferta de crédito reduzida. Porém, o mundo da tecnologia e das startups está entrando para concorrer fortemente com um setor que, até então, reinava soberano e com pouca concorrência.

Estamos falando das Fintechs. Elas são empresas que usam tecnologia de forma intensiva para oferecer produtos na área de serviços financeiros de uma maneira inovadora, com mais simplicidade, mobilidade e agilidade. Com essa concorrência, os bancos tradicionais precisam entregar serviços ágeis e com menor custo, para se equilibrar nessa linha tênue que esses tempos de crise exigem.

Após as regulações bancárias em países desenvolvidos surgidas a partir da crise de 2008, bancos ficaram presos a algumas condições burocráticas e a modalidades como, por exemplo, empréstimos menores que onde estão atuando a maioria dessas fintechs.

De acordo com um levantamento da Accenture, o mercado de tecnologia financeira teve um salto de 67% no primeiro trimestre de 2016, se comparado com o ano anterior. Estima-se, por um levantamento da Goldman Sachs, que as fintechs abocanhem uma fatia equivalente a quase US$ 5 trilhões de receita dos bancos nos próximos anos.

Agilidade

Uma prova concreta que o mercado está aquecido pode vir da fintech mineira Monetus, que se dedica à área de investimentos partindo de menores quantias. No modelo tradicional de aplicação, o interessado em investir seu dinheiro precisa, obrigatoriamente, procurar uma agência bancária de sua confiança ou uma corretora de valores, o que também demanda um alto valor de gestão. A Monetus oferece esse serviço sem este intermediário.

A plataforma oferece opções de investimento a partir de R$ 100, com adicionais mensais à critério do cliente. Segundo a startup, este modelo é uma chance de investimento para aquela pessoa que ainda ganha pouco, está nos primeiros salários, e pode deixar, nem que seja uma pequena parcela de seu rendimento, para investir e daqui a alguns anos recolher o rendimento.

No site da empresa, é possível fazer simulações de investimento com diferentes valores e aplicações mensais, bem como solicitar um convite para começar a aplicar. Acesse www.monetus.com.br.

#investimento#FintechFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.