Notícias

< voltar
03/Ago/2016 - 12:54 - Atualizado em 23/Abr/2018 - 15:37

Alunos de escola pública mineira desenvolvem bike inteligente

Projeto batizado de Nossa Bike será apresentado ao público durante o Inova Minas, em Belo Horizonte


Por Paula Isis/SIMI


O número de pessoas que utiliza bicicleta, em Belo Horizonte, como meio de transporte aumentou. Segundo o movimento Mountain Bike BH, houve um crescimento de 380% nos últimos seis anos. Quem encara as ruas e avenidas da capital precisa enfrentar, diariamente, o desrespeito e os perigos no trânsito.

Segundo estimativa da OMS (Organização Mundial de Saúde), mais de 1,25 milhão de pessoas morrem por ano vítimas de acidentes de trânsito. Em 2015, acidentes envolvendo ciclistas aumentaram 35% de janeiro a agosto em Belo Horizonte, na comparação com o mesmo período de 2014.

Foi pensando nessas estatísticas que três estudantes de ensino médio da Escola Estadual João Rodrigues da Silva, de Prudente de Morais, cidade localizada a 62 quilômetros da capital mineira, criaram uma bike inteligente que ajuda o ciclista quando ele sofre um acidente.

Batizada de Nossa Bike, o equipamento proporciona maior visibilidade ao ciclista com soluções simples como uso de setas, lanterna frontal, sensores de impacto, que acionam o Samu automaticamente, monitoramento cardíaco e GPS integrado.

Segundo o professor responsável pelo projeto, Giezi Américo, a proposta inicial era desenvolver um colete de leds com acionamento elétrico pelo dínamo (máquina que transforma energia dinâmica em elétrica) que seria acoplado à roda da bicicleta. “Com esse projeto fomos premiados na UFMG, em 2015, porém descobrimos que poderíamos incrementar a ideia”.

Um sistema parecido já existe fora do país, mas o custo é elevado e pode chegar a R$ 25 mil. No entanto, segundo o professor, no Brasil não existe nenhuma bicicleta com esses sensores. Além disso, ele destaca que o grande diferencial do projeto é que eles desenvolveram um produto “respeitando nossas especificidades e realidades”.

Questionado sobre o valor comercial do Nossa bike, Gieze explica que ele ainda está em fase de testes e adaptação, mas estima-se que custe R$ 900 todos esses acessórios na bicicleta.

O projeto dos estudantes foi selecionado pela Fapemig e será apresentado durante o Inova Minas, que acontece entre os dias 5 e 7 de agosto, no Circuito da Liberdade, em Belo Horizonte. “Fico muito feliz e honrado em saber que em meio a tanta gente grande (centros e universidades) estamos nós, de uma cidade pequena, que tem apenas duas escolas estaduais com tantas limitações”, comemora.

Rumo à Costa Rica
Viajar para a Costa Rica não é a primeira oportunidade que eles têm para levar o projeto para fora do país. “Quando ganhamos a premiação na UFMG Jovem fomos credenciados a participar da Febrace/USP-SP e alguns eventos internacionais na Rússia- International Research School e em Portugal - Youth Science Meeting.

 Favoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.