Notícias

< voltar
10/Abr/2017 - 13:51 - Atualizado em 10/Abr/2017 - 15:54

Baanko Challenge BH chega ao final premiando projetos de impacto social

Durante três semanas, 17 startups realizaram projetos relacionados aos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU


Por Alysson Lisboa/SIMI Belo Horizonte

O Baanko Challenge teve sua última rodada no sábado, dia 8 de abril. A atividade encerra a etapa BH que visa promover e acelerar startups com foco em impacto social. O Baanko Challenge é um programa de aceleração de projetos de impacto social relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

A condição para que fossem selecionadas no programa era trabalhar em alguma das 17 ODS  e ótimas ideias não faltaram. Com pitches de 4 minutos, as startups apresentaram seus projetos de forte impacto social. O Simi - Sistema Mineiro de Inovação - participou da banca avaliadora. São startups que fazem conexão entre pequenos produtos rurais, despoluição da água e plataforma para conectar boas práticas pedagógicas de professores.

Para o fundador da Baanko Challenge, André Lara, o programa vem evoluindo rapidamente: “Tivemos um nível de engajamento bem maior este ano e 14 empresas chegaram ao final”, comemora André. O organizador também falou sobre os próximos passos. “Vamos lançar no segundo semestre o programa de aceleração Magnuss. Os projetos nacionais selecionados receberão mentoria de agosto a dezembro. Os valores investidos nas empresas podem chegar a R$ 500 mil”, finaliza. O edital será divulgado no próximo mês.

Os vencedores da rodada BH

No Brasil, há aproximadamente 9 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência com capacidade de trabalho, no entanto, apenas 300 mil estão empregadas. O IMGI (Índice de Maturidade em Gestão Inclusiva), plataforma desenvolvida em parceria com o Instituto Ester Assumpção, conecta as pessoas com deficiência às grandes empresas. A solução recebeu o maior número de votos dos jurados e ficou com o primeiro lugar.

CoEducar, plataforma colaborativa que faz a integração entre professores e suas boas práticas pedagógicas, ficou com o segundo lugar. A startup Diversa, que trabalha com marketing place integrando artistas e diversas instituições da economia criativa, ficou em terceiro lugar. As empresas receberão dezenas de benefícios entre mentorias, espaços de cowork para trabalho, consultorias e diversos outros prêmios.

Uma manhã inspiradora

Ideias que mudam o mundo precisam de pessoas engajadas. “Quais são seus limites? Quais são seus limites?” A frase foi dita por Dudu do Cavaquinho, do Instituto Mano Down e provocou uma reação emocionada da platéia que lotou o Raja Valley.

É a primeira vez que um portador da Síndrome de Down participa de uma banca de pitch. O evento tem exatamente esse propósito, incluir pessoas que podem mudar mentalidades e preconceitos. O pitch realizado por Romário da IMGI foi um dos poucos que conseguiu cumprir o prazo exato de 4 minutos. Ele é cego, mas isso não impediu que sua oratória e clareza fossem percebidas.

O evento também encerrou sua rodada em Montes Claros. Agora o Baanko Challenge vai percorrer diversas cidades no Brasil e América do Sul. Outras informações acesse: http://www.baanko.com/

#impactosocial##Empreendedorismo#baankochallengeFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.