Notícias

< voltar
19/Mai/2017 - 15:24 - Atualizado em 19/Mai/2017 - 16:24

Brasil terá dois representantes na final da Microsoft Imagine Cup 2017

Os projetos ganhadores vão representar o país na final global da competição em Seattle, nos EUA, onde concorrerão a um prêmio de US$100 mil


Por Redação Belo Horizonte
Legenda
Crédito: Divulgação/Microsoft

No início desta semana, 15 equipes de todo o país, inclusive um time mineiro, desembarcaram em Fortaleza, no Cerará, para disputarem duas vagas na final mundial do Microsoft Imagine Cup 2017, a “Copa do Mundo da computação”. Os dois projetos vencedores, UpFish (SP) e BubuDigital (PB), foram anunciados nesta quinta-feira, 18 de maio.

O UpFish consiste é um sistema que monitora a produção de pescado em sistemas de aquicultura, enquanto que a BubuDigital é uma chupeta inteligente que monitora a saúde de bebês por meio de sensores de temperatura e umidade- Leia mais sobre os projetos ao fim da matéria.

Além de representar o Brasil na etapa global da Imagine Cup, que acontece em julho em Seattle, os vencedores concorrerão a um prêmio de US$ 100 mil com outros 58 times do mundo inteiro.

De acordo com a Microsoft, os dois primeiros colocados receberão apoio do Instituto InnovAction para transformar suas ideias em startups, por meio de um programa de pré-aceleração de quatro meses.

Representando Minas Gerais estava a equipe Appoint, da Puc Minas. A plataforma conecta clientes com serviços de entretenimento que exigem agendamento antecipado, por exemplo teatro, campos de futebol, paintball e cinemas.

Além disso, os 15 finalistas da etapa brasileira terão ainda a possibilidade de participar do BizSpark, que dá mentoria e disponibiliza os recursos tecnológicos da Microsoft sem custo.

Em 2017, a Imagine Cup Brasil recebeu 199 inscrições de projetos, um número acima da média global. Para a etapa final, foram selecionados grupos de diferentes regiões do país, de sete estados de Norte a Sul, de universidades públicas e privadas, conforme a Microsoft - neste ano, o critério principal é o uso da computação em nuvem.

Os vencedores

UpFish – Unicamp + UFABC (SP)

Para tentar ampliar a oferta de alimentos, o UpFish é uma solução inteligente que monitora a produção de pescado em sistemas de aquicultura, um dos meios mais eficientes de produzir proteína animal. As fazendas de pescado consomem uma baixa quantidade de recursos naturais e oferecem grande quantidade de alimento para a população. A proposta do UpFish é usar a tecnologia para ajudar o maior número possível de produtores. Utilizando o sistema de nuvem Azure da Microsoft, o aplicativo pode se tornar uma valiosa base de dados estratégicos que ajudarão o mercado de aquicultura a ganhar força.

 

BubuDigital – IF Paraíba (PB)

A solução apresentada pela BubuDigital é uma chupeta que monitora a saúde de bebês por meio de sensores de temperatura e umidade. O objetivo é ajudar a combater a mortalidade infantil, que ainda tem índices altos no Brasil, principalmente decorrentes de doenças que poderiam ser detectadas e tratadas. Os dados coletados pela chupeta são enviados a dispositivos móveis, podendo ser acessados em forma de gráficos e lembretes para os pais. Mais do que fazer o monitoramento individual, a ideia do BubuDigital é reunir uma quantidade de informações em um único local a respeito de mortalidade Infantil, o que pode ser útil para governos e cidadãos. Considerando que o uso de chupetas é bastante difundido no país, o projeto pode ter uma rápida inserção no mercado.

 

Conheças abaixo as outras equipes que participaram da final brasileira entre os dias 15 e 18 de maio.

SapiEns – UFRS (RS)

App que ajuda a otimizar o consumo de energia elétrica por meio de avisos instalados em dispositivos conectados à Internet. Alerta os usuários quando há luz acesa em cômodo vazio.

Team Bridge – USP (SP)

Game para dar suporte ao tratamento de fisioterapia de pessoas com limitações motoras graves. Pretende melhorar movimentos, cognição e vocabulário dos pacientes.

Vibeye – UFC (CE)

App para ajudar pessoas com deficiências visuais a se locomoverem, diminuindo o risco de acidentes. Um dispositivo e uma pulseira emitem informações do trajeto para o usuário.

Dreampper – Unitau (SP)

Rede social que segmenta os públicos de acordo com os interesses de conteúdo, eliminando repetições de informações. Pretende criar espaços qualificados para anunciantes.

Appoint – PUC MG (MG)

Plataforma que conecta clientes com serviços de entretenimento que exigem agendamento antecipado, por exemplo teatro, campos de futebol, paintball e cinemas.

Crown Brawl – IFPI (PI)

Jogo 3D que se passa na Idade Média, no qual desafiantes disputam entre si em batalhas no formato de arenas. Personagens seguem mapas de acordo com características pessoais.

Ensina.aí – UFPE (PE)

Serviço de ensino à distância para alunos com baixo poder aquisitivo. Conecta professores voluntários com estudantes de escolas públicas.

M.O.A.C.I. – UNIFOR (CE)

Gadget que monitora o consumo caseiro de energia elétrica e alerta a quantidade de consumo atingida através de apps web e mobile.

Apollo – Unicamp (SP)

Aplicativo para pessoas que querem aprender a cozinhar com o auxílio de uma assistente pessoal, sem precisar manusear o celular enquanto prepara a refeição.

Cod.cad – Faculdade Farias Brito (CE)

Plataforma online gratuita de ensino de programação competitiva. O objetivo é qualificar o ensino básico brasileiro, sendo uma ferramenta acessível de estudo.

Colec.te – UFPE (PE)

Separador de lixo automático que funciona com sensores que detectam os diferentes tipos de materiais recicláveis, usando recursos como reconhecimento facial e IoT.

Mete a colher - UFPE (PE)

Aplicativo que ajuda mulheres a saírem de relacionamentos abusivos. Oferece espaço para conversas, apoio jurídico e dicas de inserção no mercado de trabalho.

TeamEZCare – USP (SP)

App de gerenciamento de atividades de idosos, que oferece monitoramento aos usuários, com alertas para áreas de risco, casos de quedas, entre outras funções.

#imaginecup#microsoft#computação#competição#AppointFavoritar

Fonte: Terra

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.