Notícias

< voltar
29/Nov/2016 - 00:00 - Atualizado em 01/Dez/2016 - 14:56

Brasil terá o primeiro hackathon de moda

Inscrições podem ser feitas por profissionais de todo país até o dia 3 de dezembro


Por Redação Belo Horizonte
Crédito: Pixabay


Moda e tecnologia estarão lado a lado nos dias 10 e 11 de dezembro no primeiro hackathon de moda do Brasil, durante o Festival WeAr. Além de vivenciar novas experiências na hora de criar e produzir, os participantes terão como missão desenvolver wearables (tecnologia vestível). O evento vai reunir makers, desenvolvedores, designers, estilistas, profissionais de criação e estudantes ligados ao universo da moda e tecnologia, em uma maratona de quase 30 horas.

Os 40 participantes selecionados serão divididos em equipes de três a cinco pessoas, que terão como desafio criar e produzir um item conceitual ou que esteja pronto para ser produzido para o mercado em grande escala. Para isso, os presentes vão contar com o auxílio de mentores especializados em moda e tecnologia, como o estilista Dudu Bertholini, que darão suporte na modelagem da ideia, prototipagem e com soluções em softwares e processos. Além disso, serão disponibilizados equipamentos de confecção, hardwares e componentes para a produção das peças.

O júri, composto por profissionais da área de moda e varejo, irá avaliar os projetos segundo critérios de criatividade, design, execução, viabilidade de produção e verificar se a peça é eco-friendly (amigo do meio ambiente). Os integrantes da equipe vencedora ganhará um vale-compra de R$ 1 mil da C&A. Além disso, os projetos poderão ser futuramente negociados e comercializados pela marca.

As inscrições para o Hackathon WeAr já estão abertas e podem ser feitas por profissionais de todo o Brasil, por meio do site, até 3 de dezembro.

#hackathon#moda#desafio#fashion#C&AFavoritar

Fonte: ESPM

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.