Notícias

< voltar
30/Abr/2018 - 07:00 - Atualizado em 27/Abr/2018 - 01:14

Fapemig expande sua atuação com parcerias internacionais

Criado há um ano, Departamento de Parcerias Internacionais é responsável por cooperação com instituições de pesquisa de vários países


Por Redação Belo Horizonte

Marina Brini e Andreza Pereira atuam no Departamento de Parcerias Internacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação
Crédito: Diogo Brito/Fapemig

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) tem trabalhado bastante para ampliar a internacionalização da ciência mineira. O Departamento de Parcerias Internacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação, criado há um ano, tem firmado parcerias com instituições de pesquisa de vários países.

Os acordos são feitos com universidades, embaixadas e agências de fomento internacionais, promovendo, assim, o intercâmbio de pesquisadores e o financiamento de projetos em diversas áreas estratégicas para Minas Gerais, como engenharias; tecnologia da informação e comunicação; meio ambiente; mineração; agricultura; saúde e biodiversidade; energias renováveis; ciências humanas e sociais; e inovação.

O setor contribui diretamente para a modernização e o aperfeiçoamento internacional da Fapemig. “Atuamos para que a fundação esteja apta a atuar por meio da cooperação internacional e proporcionar aos pesquisadores mineiros experiências em alguns dos mais importantes centros de produção de conhecimento do mundo”, diz a chefe do Departamento de Parcerias Internacionais, Marina Brini.

O intercâmbio entre o estado e outros países tem beneficiado ambas as partes. A troca de expertises “permite a elaboração e o financiamento de projetos em cooperação mais robustos, gerando benefícios diretos para a comunidade acadêmica e para a sociedade”.

Além das parcerias, o setor executa ações como lançamento de chamadas públicas conjuntas; o financiamento de projetos em cooperação bilateral e multilateral; a mobilidade internacional de pesquisadores; a realização de workshops e seminários; entre outras ações.

A expectativa do departamento é expandir a internacionalização em breve, especialmente incluindo mais países da América do Sul.

#pesquisa#inovação#ciência#internacionalizaçãoFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.