Notícias

< voltar
03/Set/2016 - 23:06

Hack Town debate ações para fomentar a inovação e conflitos entre o Direito e a Tecnologia

Evento também abordou, entre tantos assuntos, a Internet das Coisas, inovações exponenciais, games e dicas de empreendedorismo.


Por Renato Carvalho/SIMI Santa Rita do Sapucaí

Santa Rita do Sapucaí está vivendo um dos finais de semana mais movimentados do ano. O Hack Town 2016 atraiu centenas de pessoas de todo o país. Jovens, estudantes, entusiastas e profissionais de áreas relacionadas às diferentes tecnologias aproveitaram o sábado, 03 de setembro, para absorver o máximo de conhecimento nas palestras e apresentações que aconteceram pela cidade.

Os eventos começaram logo cedo, às 9h. Em um dos pontos da cidade aconteceu um debate com o tema “Em Busca de novos Vales do Silício”, que teve como participantes o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação Leonardo Dias, a evangelizadora de empreendedorismo no Sul de Minas, Gabriella Sant’Anna, o criador do Fora da Caixa, em Bento Goncalves (RS), Bruno Dreher, e o co-fundador e diretor da Leucotron, Marcos Goulart.

Em sua fala inicial, o subsecretário elogiou a iniciativa do evento na cidade e destacou a força inovadora existente no município. “Temos que colocar Santa Rita do Sapucaí em uma moldura e replicar esse modelo por todo o estado”, disse. Dentro da temática proposta, Leonardo destacou o papel do governo de Minas Gerais em fomentar o desenvolvimento econômico por meio do empreendedorismo e inovação. “Nosso papel é criar projetos sustentáveis e investir no ecossistema, criando uma cultura que não seja dependente de poderes públicos”, ressaltou.

Gabriella reforçou a fala do subsecretário e destacou a tríplice hélice – governo, indústria e instituições de ciência e tecnologias (ICTs) – como a grande forma de promover a inovação. “É preciso saber trabalhar com todas essas hélices para não ter nenhum caminho bloqueado”, opinou.

Internet das Coisas

Internet das coisas (Iot) foi tema em diversas palestras na programação do Hack Town. Em uma delas o especialista de Sistemas em sistemas embarcados Linux no Inatel Competence Center e cofundador da BVIoT, Caio Pereira, apresentou como a tecnologia vai mudar a vida das pessoas.

Com o mundo cada vez mais conectado, a quantidade de informações existentes e fornecidas por cada pessoa é gigantesca. Ao mesmo tempo em que a IoT traz inúmeros benefícios e comodidades, um dos pontos sempre abordados e de infindáveis discussões é a perda da privacidade. A todo tempo as pessoas são, indiretamente, monitoradas e suas ações registradas. Para Caio, esse é um caminho sem volta que as pessoas vão precisar se adaptar. “É muito difícil se isolar num mundo cada vez mais conectado. As pessoas devem se preocupar, sim, com seus dados, precisam ser conscientizados sobre isso”, disse.

No entanto, segundo ele, enquanto não houver uma regulamentação específica sobre o tema, os debates sobre possíveis problemas não vão chegar a um fim, e a preocupação com a privacidade sempre existirá.  Sendo assim, Caio prefere se apegar aos incontáveis benefícios que esse desenvolvimento pode gerar para toda a humanidade.

Conflitos entre o Direito e a Tecnologia

O advogado de Direito Digital, Luís Prado, palestrou sobre os conflitos entre a tecnologia e o Direito, fazendo um histórico sobre como o judiciário tem reagido às inovações. Especificamente no debate entre Uber e taxistas, Prado acredita que o primeiro passo é não bloquear o serviço da empresa tecnológica. “É preciso fazer um estudo técnico de como empresas como o Uber são necessárias para a comunidade, como impactam a concorrência”, explicou.

Na visão do advogado, apesar do Brasil possuir pontos exemplares na legislação, como o Marco Civil da Internet, ainda é necessário trabalhar as leis relacionadas às tecnologias. “Temos que estudar para regulamentar, impor limites do que é aceitável. Ouvir empresas, concorrentes, comunidade, para garantir espaço para todos”, disse. No entanto, Prado ressaltou que o processo precisa ser feito com calma, já que a legislação tecnológica não pode trazer problemas para a economia digital brasileira.

Inovações exponenciais

O Chief Marketing Officer (CMO) da Ericsson da América Latina, Jesper Rhode, palestrou sobre Inovações Exponenciais. Com um tom futurístico e fazendo o público refletir, Rhode apontou ser inimaginável o quanto a capacidade de processamento das máquinas pode crescer.

O CMO apresentou, ainda, prognósticos e também demonstrou como as inovações evoluem exponencialmente, de maneira rápida. Rhode destacou que, em breve, a inteligência das máquinas será capaz de interpretar textos, entendendo sentimentos distintos como ironias. Para o temor de muitos, o palestrante destacou a possibilidade de uma rebelião de robôs, no entanto deixou claro que o fato depende apenas de como as máquinas serão programadas e se serão usadas para o mal.

 

Leia mais: Palestra sobre tecnologias imersivas abre Hack Town em grande estilo

Fotos: Renato Carvalho/SIMI

#empreendedorismo#inovação#tecnologia#startup#hacktown#SantaRitaDoSapucaíFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.