Notícias

< voltar
05/Abr/2017 - 16:41 - Atualizado em 05/Abr/2017 - 17:10

Pesquisa revela perfil dos desenvolvedores brasileiros

Realizado pela Gama Academy, estudo aponta que apenas 30% são de nível pleno


Por Redação Belo Horizonte
Crédito: Mtech Goiânia


Com o objetivo de auxiliar as empresas brasileiras no recrutamento e na retenção de desenvolvedores, a Gama Academy, escola de capacitação de profissionais para startups e a GeekHunter, plataforma de vagas de emprego para desenvolvedores, se uniram para a produção da 1ª Pesquisa de Cargos e Salários de Desenvolvedores em Startups. Realizada entre setembro e novembro de 2016, os pesquisadores entrevistaram mais de 850 profissionais de tecnologia.

Desse total, pouco mais de 30% profissionais são de nível pleno, o que demonstra um amadurecimento dos programadores no mercado. Quanto à área de atuação dos desenvolvedores, 29% afirmaram que atuam em full-stack, seguido por 28% de back-end. Também aparecem front-end (12%), PM (9%), Mobile (7%), QA (5%), DevOps (4%), B.I. (3%), Data Scientist (2%) e DBA (1%).

Outro dado importante é que 39% das startups brasileiras têm de um a 10 colaboradores, e apenas 12% delas têm mais de 100 funcionários . Entre eles, somente 8% são mulheres.

São Paulo e Rio de Janeiro concentram os maiores salários, com média de R$ 7,5 mil para seniores. Em Santa Catarina e Minas Gerais, a média é de R$ 5,5 mil. Além disso, os desenvolvedores master das startups na categoria Recursos Humanos e Finanças são os que possuem os salários mais altos – média de R$ 10,5 mil mensais.

A pesquisa também revela os benefícios encontrados nas startups – quase 90% afirmam oferecer horários flexíveis, e mais de 75% não têm um código formal de vestimenta.

Para ter acesso à pesquisa completa, clique aqui.

#pesquisa#tecnologia#startup#desenvolvedores#gamaacademyFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.