Notícias

< voltar
31/Jul/2017 - 14:34 - Atualizado em 01/Ago/2017 - 12:25

Ruptura promove a mentalidade empreendedora em alunos da UFMG

Evento está sendo realizado na Escola de Engenharia e traz palestras, desafios, pitches e workshops


Por Renato Carvalho/SIMI Belo Horizonte
Paulo Matos, da FCA - Isvor, foi o primeiro palestrante do Ruptura 2017
Crédito: Renato Carvalho/SIMI

Teve início nesta segunda-feira, 31 de julho, na Universidade Federal de Minas Gerais, o Ruptura UFMG, evento focado em promover o empreendedorismo e a mentalidade inovadora nos alunos e na comunidade envolvida com a universidade.

Durante toda a semana, o auditório da Escola de Engenharia vai receber diversas palestras de especialistas da área. A abertura do evento contou com a presença do reitor da universidade, Jaime Ramírez, com o diretor da Escola, Alessandro Moreira, da cofundadora da Optimus, Joana Bretz, e do cofundador da IEBT, Bruno França.

O auditório cheio, mesmo em período de férias na universidade, foi exaltado pelo reitor, que ressaltou a importância do empreendedorismo na educação. “A cada dia o empreendedorismo passa a ter mais valor na formação das pessoas”, avaliou.

Já Alessandro afirmou o empenho da escola em promover o tema entre alunos. “Vemos vários projetos da Escola saindo e se destacando. O Ruptura é justamente para criar essa cultura inovadora e empreendedora em quem ainda não está envolvido na área. Queremos transformar habilidades em competências”, destacou.

Joana Bretz é cofundadora da Optimus, uma das organizadoras do evento
Crédito: Renato Carvalho/SIMI

Ainda sobre o objetivo do evento, o cofundador da IEBT apontou que o evento busca transformar os participantes em líderes, independente dos cargos que ocupem. “Se estiverem motivados, fazendo o que gostam e o que sabem fazer de melhor, o dinheiro é consequência”, disse Bruno França.

Palestras

A primeira palestra foi do gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional na Fiat Chrysler Automóveis - Isvor, Paulo Matos. De uma forma geral, ele falou de vários pontos do empreendedorismo e da inovação, destacando a velocidade com que produtos, serviços e modelos mudam com o desenvolvimento tecnológico.

“A melhor coisa que a gente pode fazer é ajudar as pessoas a encontrar talentos. É importante encontrar o seu talento diferencial, pois trabalhadores com habilidades comuns serão substituídos por robôs”, disse Paulo.

Em seguida, a cofundadora da Amadoria, Luciana Gallo, falou sobre o “eupreendedorismo” e a importância do autoconhecimento. “Olhar para o que você tem de bom, para suas habilidades. Nossa cultura olha para o que falta e não para o que farta”, avaliou.

A programação do Ruptura segue durante a semana. Para obter mais informações, acesse a página do evento no Facebook.

#empreendedorismo#educação#inovação#eventoFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.