Notícias

< voltar
05/Set/2016 - 00:00

Santa Rita do Sapucaí é exemplo a ser seguido

Programação do último dia de evento contou com workshops e muita interação


Por Renato Carvalho/SIMI Belo Horizonte

O terceiro e último dia do Hack Town, em Santa Rita do Sapucaí, reservou uma dezena de workshops aos participantes do evento, que puderam optar entre diversos temas, desde fotografia, criação de negócios à construção de headsets de realidade virtual. Um deles foi o workshop de Transmídia, que aconteceu em uma das salas do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel).

Promovido por Rodrigo Arnaut, fundador da EraTransmídia, de São Paulo, o workshop introduziu os participantes às narrativas multiplataforma usando o método Multi Audiência Multi Plataforma (MAMP). No curso, os inscritos puderam trabalhar desde a criação do universo narrativo, passando pelos personagens necessários para engajar uma audiência e construir mídias onde as histórias serão veiculadas.

Participantes do workshop testam ferramenta para criar game com base na área delimitada pelo usuário. Crédito: Renato Carvalho/Simi

“É um workshop muito didático e prático, para qualquer pessoa que não tem conhecimento de transmídia ou até mesmo profissionais que já conhecem”, disse Arnaut. Ao final do trabalho, os participantes apresentaram um pitch sobre seus projetos. Os vencedores foram agraciados com óculos de realidade virtual, livros sobre transmídia, entre outros brindes. Durante o curso, os inscritos também receberam uma demonstração de um óculos HTC Vive, ilustrando como as narrativas criadas para esse dispositivo podem ser utilizadas em mídias mais imersivas.

Palavra do organizador
Com o fim do evento, um dos organizadores do Hack Town, Ralph Peticov, concedeu entrevista exclusiva ao SIMI. A avaliação foi positiva a expectativa é que no próximo ano o número de participantes dobre. Segundo ele, a cidade recebeu 1,2 mil pessoas de todo o Brasil e a estrutura do festival foi desenhada para gerar uma experiência diferenciada aos participantes.

Um dos focos do Hack Town, segundo o organizador, era criar nos participantes a sensação de sempre estar perdendo alguma palestra interessante. “Ninguém ficou preso em alguma sala. Todos podiam andar pelas ruas, conhecer as cidades e assistir a diferentes temas. Você tem a opção de sair de uma palestra se não gostar, andar um quarteirão, entrar em outro lugar e assistir algo completamente diferente”, completa.

Ralph Peticov atua como Experience Designer em São Paulo. Ele conheceu Santa Rita do Sapucaí em Austin, no Texas, em um festival que inspirou a criação do Hack Town.
Crédito: Renato Carvalho/Simi

Peticov ainda revelou que vários palestrantes agradeceram ao convite feito. “Eles confirmaram o que eu sempre falo: essa cidade é mágica. São 40 mil habitantes que respiram tecnologia. É um dos poucos lugares em que a educação sustenta a cidade, e não o contrário”, elogiou.

Visão do participante
A psicóloga Rosângela Vasconcelos contou que já havia participado do Hack Town em outra oportunidade, mas que a expectativa para o evento deste ano era a melhor possível. Ela aproveitou os três dias para assistir a tudo aquilo que desconhecia e elogiou bastante a cultura de compartilhamento das pessoas mais jovens. “Minha geração não compartilhava as coisas. Era tudo escondido, ninguém podia saber do outro, porque alguém podia roubar sua ideia. Essa geração mais nova é fantástica. Estou encantada”, disse.

Rosângela Vasconcelos aproveitou o Hack Town para aprender mais sobre temas desconhecidos.
Crédito: Renato Carvalho/Simi

Exemplo a ser seguido
Presente no Hack Town, o subsecretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação de Minas Gerais, Leonardo Dias, destacou que Santa Rita do Sapucaí é exemplo a ser seguido. “É esse ambiente que queremos em todo o estado de Minas. Queremos que as pessoas pensem na tecnologia e inovação em seu dia a dia”.

O subsecretário apontou o papel estratégico do estado para o desenvolvimento econômico e empoderamento dos empreendedores. “O governo não tem que ser realizador, tem que ser fomentador. A gente está aqui para participar de uma maneira mais discreta. Não temos que ser os atores principais e sim, os empreendedores que fazem a coisa acontecer.


Confira cobertura da TV Simi:

Leia também:
Palestra sobre tecnologias imersivas abre Hack Town em grande estilo
Hack Town debate ações para fomentar a inovação e conflitos entre o Direito e a Tecnologia

#empreendedorismo#inovação#hacktown#SantaRitaDoSapucaí#workshopsFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.