Notícias

< voltar
24/Nov/2017 - 16:40 - Atualizado em 11/Mai/2018 - 09:38

StartOut vai selecionar startups para imersão e internacionalização

Programa oferece viagem ao exterior, mentoria e treinamento de pitch


Por Redação
Crédito: Reprodução Apex

Lançado nesta sexta-feira, 24 de novembro, o programa StartOut Brasil vai selecionar até 15 startups para participar de um ciclo de imersão, com direito à consultoria especializada, mentoria e treinamento de pitch. Todas devem ter potencial de internacionalização. O programa tem como objetivo inserir startups brasileiras nos ecossistemas de inovação mais promissores do mundo.

De acordo com informações divulgadas durante o lançamento do programa, as startups selecionadas poderão participar de uma missão brasileira com apresentação, encontros organizados por matchmakers e demo day para possíveis investidores e clientes. Durante o StartOut estão previstas ainda visitas a aceleradoras, incubadoras e empresas, além de uma rodada de reuniões com prestadores de serviços.

Quer saber como foi o lançamento? Confira o vídeo na íntegra clicando aqui.

Quatro fases de aprendizado

A iniciativa realizada pela Apex, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Anprotec e Sebrae – tem quatro módulos no ciclo de imersão. Cada um deles  em um ecossistema específico. A primeira fase consiste na seleção e capacitação. As startups interessadas se inscrevem no programa e são avaliadas por uma banca que selecionará as 15 melhores que serão preparadas para imersão nos ecossistemas estrangeiros.

Entre 4 a 6 semanas, as empresas receberão consultoria especializada em internacionalização, com acesso à trilha Plataforma para o Mundo da Apex-Brasil, sessões com mentores e de treinamento de pitch.

A partir daí começa a segunda etapa: a missão. Nela, as startups terão a oportunidade de conhecer in loco o ecossistema estrangeiro. Durante essa fase, será feito um reforço no treinamento de pitch e uma agenda voltada para prospecção de clientes e investidores, assim como visitas a aceleradoras e incubadoras. As startups também participarão de um seminário de oportunidades, reuniões e demo day para atrair investidores.

No retorno ao Brasil, as startups entram na terceira etapa: reconhecimento. Nesta fase, elas receberão acompanhamento personalizado para maximizar oportunidades de negócios que tenham sido identificadas no exterior. Além disso, terão mais duas sessões de consultoria e depois vão aprimorar sua estratégia de expansão.

Já na fase final, Softlanding, as startups receberão apoio para se instalar no país escolhido e promover a exportação de seu produto ou serviço. Nessa etapa, elas receberão apoio do Setor de Promoção Comercial (SECOM) das embaixadas do Brasil e as empresas poderão se valer dos serviços da Apex-Brasil e da rede internacional de parques tecnológicos da Anprotec.

#startups#aceleração#empreendedorimo#programadestartups#startoutFavoritar

Fonte: PEGN

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.