Notícias

< voltar
15/Fev/2017 - 10:30 - Atualizado em 15/Fev/2017 - 11:37

Startup brasileira é finalista em concurso internacional no Japão

Final do Open Innovation Business Contest reunirá 10 projetos selecionados ao redor do mundo, no dia 15 de março


Por Redação Belo Horizonte
O CEO, Alexandre Bess, recebendo o prêmio da etapa nacional do Open Innovation Business Contest, em São Paulo
Crédito: Divulgação/LegalBot


Após disputar a final com outras 5 startups, a LegalBot é a finalista brasileira do Open Innovation Business Contest, competição global que incentiva a inovação empresarial. Os projetos apresentados tinham foco em realidade virtual, aumentada e mista, Internet das Coisas (IoT) e inteligência artificial.

Dentro desse novo cenário disruptivo, a representante brasileira no Open Innovation Business Contest desenvolveu uma solução que busca democratizar o acesso à inteligência regulatória. Ela ganhou uma bolsa de estudos para o curso WeSTART do ISE Business School, um programa para empreendedores e investidores, e concorrerá na final, em Tóquio, no Japão, com outros nove projetos selecionados nas cidades de São Francisco, Londres, Tel Aviv, Tóquio, Toronto, Madri, Barcelona, Cingapura e Pequim.

O vencedor receberá um prêmio de US$ 30.000 e terá a oportunidade de trabalhar, por três meses, com uma equipe da NTT DATA - um dos principais fornecedores mundiais de serviços e inovação na área de TI - no desenvolvimento de um protótipo de serviço-produto, que será oferecido às empresas clientes da companhia.

Conheça o projeto finalista

Baseada em inteligência artificial, a plataforma da LegalBot auxilia os profissionais de governança, gestão de riscos e compliance na análise, seleção, classificação e organização dos diversos aspectos normativos.

O CEO da startup, Alexandre Bess, explica que atualmente a regulação é um problema global, que impacta diretamente a competitividade das empresas e dos países, inclusive, gerando enormes prejuízos. “Um dos principais problemas enfrentados pelos que atuam nessa área é o grande volume de normativas. No mercado financeiro, por exemplo, surgem mais de 300 regulações todos os meses”, comenta.

Para facilitar o contato e a experiência dos profissionais com as normativas de seus segmentos, a plataforma da startup busca, analisa e interpreta as informações por meio de algoritmos. Dessa forma, cada usuário, conforme sua seleção, tem acesso aos dados pela web e aplicativo, ou seja, a tecnologia leva ao usuário o que ele realmente precisa saber sobre regulação.

Para Bess, a sensação de ser o representante brasileiro na final do Open Innovation Business Contest é maravilhosa, “pois sabemos o quanto a tecnologia é relevante para o mundo e teremos a oportunidade de apresentá-la para um público internacional”, comemora.

De acordo com Roberto Pereira, executivo responsável pelas iniciativas da Inovação na Everis Brasil – empresa responsável pela competição, a semifinal brasileira do Open Innovation Business Contest mostrou a força do ecossistema de inovação e o quanto é importante entender as novas tecnologias desde o início, para desenvolver capacidades, parceiros e identificar possíveis problemas durante a adaptação. “Por ser nosso modelo de negócios B2B2C, precisamos compreender o que nossos clientes pretendem ofertar aos clientes deles para que, juntos, possamos levar à sociedade soluções mais robustas”, observa.

Outros projetos semifinalistas

Plataforma de Realidade Virtual 360º na Nuvem - Beenoculus

Produto de economia criativa, com foco em potencializar o ecossistema de produção e distribuição de conteúdo 360º e o mercado publicitário.


Plataforma de Realidade Virtual para Projetos Imobiliários - VR Monkey

Permite que arquitetos e profissionais em geral do setor imobiliário façam visitas aos empreendimentos imobiliários, usando as mais recentes tecnologias de realidade virtual.


IOBike - Plataforma IoT para Bicicletas em Áreas Urbanas - LightUp

Solução de iluminação que conecta bicicletas à IoT (internet das coisas), proporcionando aos ciclistas segurança e interatividade, além da possibilidade de geomarketing a anunciantes.

Simulador integrado à gamificação que promove a reabilitação de pessoas com deficiência por meio da experiência de imersão produzida por realidade virtual - Fisioatual

Utiliza o entretenimento dos jogos integrado a uma plataforma instável, equipada com sensores. Funciona como um simulador de exercícios por meio da imersão na realidade virtual.

Plataforma de Realidade Virtual Inside Places - Inside Places

Com o uso desta ferramenta, arquitetos, designers de interiores e construtoras dão aos seus clientes a oportunidade de estarem dentro de seus imóveis antes mesmo de ficarem prontos.

 

 

#tecnologia#inteligenciartificial##startup#OpenInnovationBussinessContest#LegalBotFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.