Notícias

< voltar
11/Out/2017 - 08:00 - Atualizado em 11/Out/2017 - 15:32

Startup mineira fecha acordo para exportar tecnologia de saúde para Austrália

Profitus, residente da Universidade Federal de Viçosa, desenvolveu uma pomada com extrato de urucum eficiente contra diversos problemas de saúde


Por Redação Belo Horizonte
Extrato de urucum ajuda a comabter diversos problemas de saúde
Crédito: Daniel Sotto Maior/CCS-UFV

A startup Profitus, residente do Parque Tecnológico da Universidade Federal de Viçosa (UFV), rompeu as fronteiras nacionais e fechou um acordo com um laboratório australiano para a exportação da tecnologia do extrato de urucum. Com isso, até o fim deste ano, os produtos produzidos com o extrato devem estar à venda no país e também na Nova Zelândia.

A tecnologia foi desenvolvida pela Profitus com o apoio da UFV durante 17 anos de pesquisa. Ela permite, por metodologia patenteada, extrair fitoquímicos presentes no urucum que são eficazes no combate a herpes, hemorroidas, afta, acne, psoríase, queimadura, frieira, escara, furúnculos, caspa, seborreia e outros. A Profitus tem no mercado nacional quatro pomadas, que além dessas funções, também ajudam na cicatrização de feridas e na regeneração de pele idosa.

O diretor comercial da empresa, Sidiney Sousa, conta que os resultados surpreenderam os australianos. “É uma alegria enorme para nós obter este reconhecimento, já que a Austrália é um país de referência na medicina em escala global. Isso é um indicativo de que as tecnologias que desenvolvemos aqui são poderosas, inovadoras e eficazes”, disse.

Ainda segundo ele, a Profitus não planejava se internacionalizar até o fim do ano, mas com a demanda, resolveu aceitar o desafio. Outros países da África e a Alemanha também já demonstraram interesse em importar as pomadas.

Para o desenvolvimento da pesquisa e obtenção da tecnologia final, a Profitus teve apoio de instituições brasileiras e mineiras que apoiam a inovação, como a Finep, o Sebrae, o CNPq, a Fapemig e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (Sedectes).

#pesquisa#tecnologia#ciência#startup#saúde#negóciosFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.