Notícias

< voltar
06/Fev/2018 - 14:35 - Atualizado em 24/Abr/2018 - 13:39

Startup quer acabar com anúncios invasivos na internet

Brasileira da Eye/o conversou com o SIMI sobre as ferramentas desenvolvidas pela empresa


Por Pedro Matos/SIMI
Crédito: Eyeo/Divulgação 

O número de ferramentas com a finalidade de bloquear os anúncios na internet tem crescido muito nos últimos tempos. Os famosos “adblockers” aparecem como alternativa para usuários que não querem ter sua navegação incomodada por publicidades invasivas, comuns em diversos sites.

A publicidade na rede, inclusive, foi abordada pela gerente de comunidade da startup Eye/o, Rachel Brochado, durante a Campus Party Brasil, que aconteceu em São Paulo, entre 30 de janeiro e 4 de fevereiro. A jovem foi a primeira brasileira a fazer parte da empresa, que tem sede na Alemanha, e que atualmente conta com mais de 100 funcionários de 32 países diferentes.

Uma dessas extensões que visam reduzir a presença de anúncios na navegação é o Adblock Plus, iniciativa da startup Eye/o, que tem como objetivo melhorar a usabilidade de sites dando ao usuário a liberdade de escolher o tipo de publicidade que irá impactá-lo. “A gente tem um programa de anúncios aceitáveis, que foi desenvolvido a partir de uma pesquisa realizada com usuários de internet. Mas eles ainda podem bloquear todos os anúncios, se quiserem”, explica a comunicadora.

No entanto, existe uma resistência muito do grande do mercado de publicidade em relação a iniciativas como os adblockers. A arrecadação com anúncios ainda é a maior fonte de renda para produtores de conteúdo online. Por isso, sistemas e estratégias “anti-adblockers” estão ganhando espaço. Não é incomum usuários que utilizam uma extensão como o Adblock Plus ser impedido de acessar determinados conteúdos até desativar a extensão.

Rachel explica que a startup está atenta a esse movimento, mas que acredita que existam soluções que não “obriguem” o usuário a ver um conteúdo indesejado. “A gente tenta trabalhar a questão da consciência. O publicitário precisa encontrar soluções criativas para impactar o usuário. Não é certo apenas forçá-lo a assistir um vídeo ou acessar um site patrocinador”, argumenta.

Alternativa

Atentos à necessidade de buscar novas fontes de renda para produtores de conteúdo para internet, a Eye/o está lançando uma nova ferramenta que poderia mudar a forma como o conteúdo web é rentabilizado. O Flattr é uma extensão onde o usuário faz uma contribuição mensal, que pode ser de US$ 3 ou mais, para recompensar os produtores de conteúdo pelo material disponibilizado.

A ferramenta distribui esse valor de acordo com os principais sites e conteúdos acessados pelo usuário. O Flattr leva em consideração diversos critérios, como quantidade de cliques, tempo em que o usuário permanece na página, entre outros.

A ideia é criar uma forma de  garantir que os conteúdos onlines possam ser sustentados pelos próprios usuários, acabando com a necessidade de anúncios invasivos.

O que achou? Estaria disposto a pagar US$ 3 para garantir a sustentabilidade dos conteúdos web sem ser bombardeado com anúncios? Deixe sua opinião!

#startup#internet#web#publicidade#adblockFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.