Notícias

< voltar
27/Jun/2017 - 14:01 - Atualizado em 16/Abr/2018 - 16:40

Sustentabilidade é um dos destaques do FIEMG Lab 2017

Startups desenvolveram ferramentas para indústrias lidarem com seus resíduos e que facilitam a obtenção da licença ambiental


Por Redação Belo Horizonte
Startups participantes do FIEMG Lab apresentam suas soluções para questões ambientais 
Crédito: Reprodução/FIEMG Lab

Na última semana, as startups Net Resíduos, a Descarte Legal e Licentia apresentaram soluções inovadoras para as questões ambientais do nosso planeta durante banca do FIEMG Lab. As duas primeiras lidam com resíduos e a última com licenciamento ambiental. O gestor do FIEMG Lab, Fábio Veras, acredita que a disrupção está chegando à grandes indústrias. “As startups estão revolucionando o mercado. A maior rede hoteleira do mundo não tem hotéis. Temos que nos aproximar dessa comunidade de novos empreendedores”, disse.

A Net Resíduos - empresa que faz gerenciamento de dados online sobre geração, transporte e destinação de resíduos da construção civil- surgiu de uma necessidade observada por um de seus fundadores. O CEO Henrique Ribeiro percebeu que o grande problema da geração de resíduos é a falta de controle dos dados. Para ele, essas informações coletadas e analisadas corretamente são de importância estratégica para a empresa. “Queremos popularizar o gerenciamento de resíduos”, afirma.

Outra startup que trabalha com resíduos é a Descarte Legal. O negócio surgiu da  percepção de seu fundador, João Pedro Procópio, que  trabalhava no setor público e notou que a maior dificuldade na obtenção de licenças ambientais vinha exatamente desse problema. Além disso, João Pedro observou que a maior parte das empresas não tem profissionais treinados para lidar com isso. A Descarte Legal promove a conexão entre empresas geradoras de resíduos sólidos com empresas transportadoras e receptoras ambientalmente regularizadas. “A empresa cumpre suas condicionantes ambientais e não perde tempo procurando firmas para descartar seus resíduos”, conclui.

Já a Licentia é uma plataforma para elaboração, submissão, gestão e armazenamento de dados para processos de licenciamento ambiental. Léo Santiago, fundador da startup, quer tornar esse processo mais inteligente e eficiente. De acordo com ele,  o modelo tradicional dura em média cinco anos, é caro, complexo, tem conclusão incerta e a informação não é estruturada. “Trata-se de gestão de conhecimento com inteligência artificial. Através da Licentia, a análise do processo de licenciamento ambiental é inteiramente online.” A ferramenta poderá ser contratada por assinatura mensal.

Leia também:

Eleita pelo InnovAtiva Brasil 2016 como uma das melhores startups do país, NetResíduos também vai investir em EAD

#tecnologia#sustentabilidade#startups#FiemgLAB#meioambienteFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.