Notícias

< voltar
01/Mar/2016 - 11:40

Universidade de Itaúna e UFMG transformam óleo de cozinha em biodiesel

Projeto propõe o reaproveitamento do óleo utilizado para fritura para produzir combustível de baixo custo


Por Da redação

Sabe aquele óleo de fritura da batatinha do almoço de domingo? Então, o que você vai fazer com ele? Algumas pessoas reaproveitam o óleo de cozinha para fazer sabão, outras realizam o descarte de forma inadequada. Mas, no que depender dos pesquisadores das Universidade de Itaúna (UI) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o resíduo será transformado em biodiesel e poderá ser utilizado por caminhonetes, caminhão ou ônibus.

A ideia, surgida em 2008 quando foi inaugurada a primeira usina móvel de biodiesel, ganhou corpo com a fusão de processos químicos e mecânicos, adquirindo notoriedade com o registro de quatro patentes. O mercado atual já disponibiliza processamentos de óleos vegetais naturais para produção em grande escala, mas não aproveita matéria-prima de baixo valor agregado, como os óleos residuais dos processos de frituras e gordura animal.

Durante a fase de desenvolvimento do projeto, a Universidade de Itaúna entrou com o reator ultrassônico (processo mecânico) que transforma o biodiesel. E a equipe da UFMG desenvolveu novos catalisadores para trabalhar com o óleo de maior acidez (processo químico).

O biodiesel de óleo de cozinha apresenta inúmeras vantagens em relação ao diesel comum, dentre elas estão o fato de ser renovável e não apresentar enxofre em sua composição. Ele pode ser utilizado em motores diesel sem necessidade de adaptação. Além disso, o combustível é 80% menos poluente e tem poder lubrificante maior que o diesel de petróleo renovável.

Meio ambiente
O biodiesel é ecologicamente mais correto, pois é feito do óleo que costuma ser descartado no meio ambiente. Estima-se que no Brasil são gerados cerca de 5,5 bilhões de litros óleo de fritura por mês, sendo que menos de 5% desse resíduo é reaproveitado. Vale ressaltar que 1 litro de óleo é capaz de contaminar até 25 mil litros de água potável.

*Com informações do Estado de Minas.
Foto: (foto: divulgação/BCHEM)

 Favoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.